Províncias

Escola pedagógica com falta de professores

Armando Sapalo|Dundo

O director da Escola Superior Pedagógica da Lunda-Norte, Augusto Chipombela, manifestou-se na quarta-feira, no Dundo, preocupado com a gritante falta de professores a nível da instituição.

O director da Escola Superior Pedagógica da Lunda-Norte, Augusto Chipombela, manifestou-se na quarta-feira, no Dundo, preocupado com a gritante falta de professores a nível da instituição.
O docente referiu que a situação está a afectar sobretudo os cursos de línguas, em disciplinas nucleares, como língua e cultura inglesa, literatura, além de transtornar as metodologias de ensino e práticas das referidas cadeiras.
O director Augusto Chipombela afirmou que a situação se arrasta desde o ano passado, mas assegurou que estão em curso contactos, em coordenação com a reitoria da universidade e o Ministério do Ensino Superior e Ciência e Tecnologia para a contratação de novos professores para a instituição.
O universitário revelou que, neste momento, o corpo docente da instituição é assegurado por 47 professores, dos quais 19 efectivos, 18 de nacionalidade cubana, quatro colaboradores e outros seis em regime de contrato.
O director daquela Escola Superior Pedagógica da Lunda-Norte considerou que este número é insuficiente para responder às necessidades pedagógicas da instituição, que tem, este ano lectivo, matriculado um total de 910 estudantes do primeiro ao terceiro ano.
Com a criação da licenciatura, o grau de bacharelato vai apenas até 2013, a nível da instituição, onde, neste momento, estão inscritos 540 estudantes do segundo e terceiro ano, segundo o responsável.
A partir do ano lectivo de 2014, acrescentou, a escola superior  vai trabalhar apenas com um plano curricular, em que se estabelece o grau de licenciatura em Ciências de Educação, nas especialidades de línguas, biologia, química e educadores de infância.
Augusto Chipombela salientou que a formação de quadros com o grau de licenciatura vai proporcionar o desenvolvimento científico dos jovens que vão, num futuro próximo, assumir a responsabilidade da formação técnicoprofissional dos estudantes nas diferentes instituições de ensino médio e superior a nível da região.

/>Bons resultados


O director da escola pedagógica considerou positivos os resultados alcançados durante os últimos sete anos. Até agora, a instituição formou mais de 600 quadros com o grau de bacharelato, muitos dos quais a leccionar nos estabelecimentos dos diferentes subsistemas de ensino da região.
Augusto Chipombela defendeu a necessidade de se reforçar a biblioteca da Escola Superior Pedagógica com mais livros, uma vez que o número actualmente existente é irrisório para as exigências do curso de Ciências da Educação.
O director mostrou-se optimista, quanto ao reforço bibliográfico, tendo em conta a doação recentemente feita pela reitoria da Universidade de São Paulo (Brasil), de mais de mil livros de diversas áreas do saber, à biblioteca da Escola Superior Pedagógica da Lunda-Norte, no quadro de uma cooperação bilateral. As obras chegam à província nos próximos dias. Simultaneamente, a instituição reforça-se com um outro lote adquirido pelo Ministério do Ensino Superior e Ciência e Tecnologia para reduzir as dificuldades da falta de bibliografia na instituição.
Apesar destes esforços, a constatação feita pela direcção da Escola Superior Pedagógica da província da Lunda-Norte é que ainda há um grande número de estudantes sem o hábito da leitura, quando esta é um elemento fundamental na formação e na investigação.
“Além de aumentar o nível cultural dos estudantes, a cultura de ler vai também contribuir significativamente no processo da preparação das monografias, de acordo com os parâmetros da metodologia de investigação científica, para uma apresentação eficaz dos trabalhos para a defesa das respectivas teses”, salientou.
 Augusto Chimpobela considerou a fraca preparação dos estudantes universitários como resultado do facto dos subsistemas de ensino anteriores apresentarem ainda inúmeras debilidades.

Tempo

Multimédia