Províncias

Estrada Chitata/Lóvua em reabilitação

Isidoro Samutula| Lóvua

A reabilitação da Estrada Nacional 225, que liga a cidade do Dundo aos municípios do sul da província da Lunda-Norte, decorre a ritmo acelerado, sobretudo no troço Chitata-Lóvua, num percurso de 100 quilómetros, disse, ao Jornal de Angola Armindo Fortes, engenheiro da empresa Odebrecht, que intervém na empreitada.

Os primeiros quilómetros estão a ser asfaltados e o empreiteiro pretende acelerar os trabalhos para a obra ser concluída dentro do prazo
Fotografia: Isidoro Samutula| Lóvua

Neste momento estão a ser asfaltados os primeiros 20 quilómetros e durante o Cacimbo vai ser possível acelerar os trabalhos de modo a terminar as obras no prazo contratual. “Temos todas as condições técnicas reunidas no terreno e prevemos intensificar os trabalhos no período seco, tendo em vista o cumprimento do prazo contratual”.
Para o sucesso da obra, a empreiteira conta com 1.043 trabalhadores, sendo 935 angolanos, na sua maioria residentes nas comunidades instaladas ao longo do percurso da obra, e 108 estrangeiros de várias nacionalidades.
Armindo Fortes, referiu, a propósito, a crescente necessidade de se aumentar o número de funcionários, devido à celeridade que se pretende imprimir na execução da obra.
O engenheiro confessou, no entanto, estar preocupado com a falta de materiais essenciais para a estrutura do pavimento, que deve garantir a qualidade e durabilidade da estrada, e realçou as dificuldades por que passa a sua empresa, devido ao facto desses materiais, sobretudo pedras, estarem a ser obtidos a 140 quilómetros, nos arredores da cidade do Dundo. Para tentar resolver esta questão, os técnicos da empresa estão a desenvolver vários estudos para descobrir jazidas de materiais de construção em áreas próximas.
“No princípio tínhamos grandes dificuldades, sentíamos a falta de muitos materiais na região que são fundamentais para a qualidade de estrada que estamos a fazer, mas com o esforço dos nossos profissionais conseguimos descobrir jazidas de bourgal, que nos têm sido úteis para a sub-base”, explicou. Os trabalhos da estrada envolvem também a reposição de duas pontes sobre os rios Luxico e Lóvua, embora a actual ponte sobre o Lóvua vá manter-se. Armindo Fortes explicou que a nova ponte vai ser construída para possibilitar que a estrada passe próximo da sede comunal.

Tempo

Multimédia