Províncias

Ex-militares recebem meios de trabalho

Isidoro Samutula | Lucapa

Mais de 240 ex-militares no município do Lucapa, província da Lunda Norte, beneficiam de equipamentos de trabalho para os ramos do comércio, construção civil, alfaiataria, serralharia, electricidade, recauchutagem e agropecuária, no quadro do programa do governo que visa reforçar os mecanismos de reintegração socioprofissional dos desmobilizados. 

Antigos combatentes têm recebido vários apoios do Governo e parceiros sociais no âmbito do programa de combate ao desemprego
Fotografia: Isidoro Samutula

No município do Lucapa, o Instituto de Reintegração dos Ex-Militares (IRSEM) controla cerca de 554 inseridos no “projecto Txipema” e prevê, nos próximos dias, entregar mais kits de carpintaria, primeiros socorros, moageiras, canalização, rádios e televisores a outros ex-militares que não foram contemplados nesta primeira fase.
O chefe dos serviços provinciais do Instituto de Reintegração Socioprofissional dos Ex-Militares, Pinto Nauegi, disse que o programa é extensivo a todos os municípios da província, no âmbito dos esforços do Executivo que visam reduzir o grau de pobreza daqueles que contribuíram para a paz no país.
Pinto Nauegi recordou que acções de entrega de meios de trabalho aos ex-militares tiveram também lugar nos municípios do Cambulo, Chitato, Capenda-Camulemba e Cuango e destacou que o município do Lucapa é o mais beneficiado a nível da província, com a implementação de quatro projectos, nomeadamente Kuhuima, Lufuma, Muquita e agora o projecto Txipema.
O chefe do IRSEM na Lunda Norte mostrou-se preocupado com o destino incerto que alguns ex-militares dão aos kits atribuídos, o que leva muitos deles a voltar à condição de pobreza contínua. “Esta é a forma que o Executivo encontrou para reconhecer o contributo dado por ex-militares para o bem-estar dos angolanos, por isso é importante que os beneficiários implementem os projectos”, aconselhou, ressaltando os grandes objectivos do projecto, que é o de garantir a auto sustentabilidade dos ex-militares e suas famílias.
A província da Lunda Norte controla 13 mil ex-militares, dos quais 7 mil estão inseridos nos projectos programados pelo IRSEM e as autoridades locais garantem que até 2017 estejam todos inseridos nos projectos de reintegração social.
Pinto Nauegi pediu calma à­queles que ainda não receberam os meios de trabalho, tendo em conta que o processo é faseado, contínuo e abrangente.
O responsável destacou a preocupação do Executivo sobre a a­tenção especial que deve ser prestada aos ex-militares de forma a melhorarem as suas condições de vida.
“A reintegração dos ex-militares é um compromisso inadiável para conferir dignidade e uma vida melhor a todos aqueles que serviram a pátria com muito sacrifício”, garantiu Pinto Naugei. Os beneficiários mostraram-se satisfeitos com o projecto do Executivo e manifestaram prontidão na sua implementação. Domingos Joaquim, ex-militar da extinta FAPLA, realçou a importância do projecto na melhoria substancial do nível de vida da sua família.“Recebi o kit de recauchutagem, vou montar a minha oficina para trabalhar e sustentar a minha família e criar posto de trabalho para uma ou duas pessoas”, disse Pinto Naugei, cuja ideia foi partilhada por Victor Manuel, que beneficiou de um kit de serralharia. “Estou muito satisfeito com este gesto do Governo, prometo trabalhar para mudar a minha vida e da minha família”, afirmou.

Tempo

Multimédia