Províncias

Expansão dos serviços sanitários

Armando Sapalo| Dundo

O governador da Lunda-Norte anunciou, no Dundo, a expansão e ampliação, no próximo ano, da rede sanitária, com a construção de centros de saúde e postos médicos nas sedes municipais e comunais.
Ernesto Muangala, que fez o anúncio na cerimónia de cumprimentos de fim de ano, disse que as autoridades locais estão a envidar esforços para as obras do novo hospital provincial da Lunda-Norte, paralisadas há mais de dois anos por falta de verbas, serem concluídas.

O governo da província da Lunda-Norte pretende aumentar o número de infra-estruturas sanitárias e de quadros do sector
Fotografia: JA

O governador da Lunda-Norte anunciou, no Dundo, a expansão e ampliação, no próximo ano, da rede sanitária, com a construção de centros de saúde e postos médicos nas sedes municipais e comunais.
Ernesto Muangala, que fez o anúncio na cerimónia de cumprimentos de fim de ano, disse que as autoridades locais estão a envidar esforços para as obras do novo hospital provincial da Lunda-Norte, paralisadas há mais de dois anos por falta de verbas, serem concluídas. Também começou a construção do hospital da nova centralidade do Dundo, cujo projecto está concebido para 90 camas.
O governador afirmou ser de extrema importância o surgimento dos novos empreendimentos, tendo em conta o número de camas e a diversidade dos serviços que podem proporcionar.
O governador, médico de profissão, referiu que as novas estruturas sanitárias vão dispor de serviços de urologia, oftalmologia e hemodiálise. A intenção do governo provincial, afirmou, é dotar a província de serviços de saúde que reduzam “a elevada dependência e procura dos hospitais de outras regiões, particularmente de Luanda”.
Ernesto Muangala estabeleceu como meta para 2012 a aquisição de mais clínicas móveis e ambulâncias para facilitar a assistência médica e medicamentosa  às populações das zonas afastadas das sedes e municipais e comunais.
A contratação e a formação permanente de técnicos do sector da Saúde e o equipamento das unidades sanitárias de maior referência com modernos aparelhos de diagnóstico são, entre outras das apostas do governo da província.

Vários projectos inaugurados

O governador disse que a vida da população da província tem melhorado consideravelmente, pois este ano foram construídos e inaugurados vários equipamentos de saúde.
Entre os empreendimento inaugurados contam-se o hospital municipal José Eduardo do Carmo Nelumba, no município do Cambulo, com 100 camas, dois centros de saúde nos municípios do Cuilo e Xá-Muteba e cinco postos médicos nas localidades de Canzar, Xá-Cassau, Calonda e Caluango. Também, este ano, se realizaram obras de reabilitação nos hospitais do Dundo, no Sanatório do Sacavula e no do município do Lucapa.
As obras, feitas por iniciativa do governo provincial, beneficiam, essencialmente, o banco de urgência, o laboratório de análises clínicas, o bloco operatório e o centro de hemoterapia e permitiram ampliar a capacidade de internamento de 190 para 220 camas.
As obras de reabilitação e ampliação do actual hospital provincial incidiram na melhoria dos serviços de banco de urgência, das salas de internamento, nos laboratórios de análises clínicas, no bloco operatório e no centro de hemoterapia.
A inauguração de novas infra-estruturas sanitárias e a reabilitação de outras fizeram com que se passasse de 1.700 camas em 2010 para.1875. A província tem agora 760 enfermeiros e 69 médicos.
A região, afirmou o governador, registou uma diminuição considerável de óbitos por malária, como resultado das medidas de precaução desenvolvidas pelos responsáveis do sector, tal como da mortalidade materno-infantil.
Ernesto Muangala, que se mostrou satisfeito com os resultados das campanhas de vacinação contra a poliomielite, disse estar preocupado com a quantidade de casos de cólera recentemente registados no município do Lucapa, que provocaram várias mortes.
De acordo com o governante, as autoridades locais, em coordenação com o Ministério da Saúde, procuram encontrar medidas para solucionar o problema.

Tempo

Multimédia