Províncias

Expo Caconda mobiliza pequenos agricultores

Isidoro Samutula | Dundo

A quarta edição da feira agropecuária Expo Caconda 2014, na província da Lunda Norte, marcada para Novembro, vai reunir pequenos agricultores  que vão procurar estabelecer parcerias e colher experiência.

Diversificação do potencial que o município possui vai ser uma das inovações da maior feira da região que é aguardada com entusiasmo
Fotografia: Isidoro Samatula

O administrador da feira de Caconda, Luís Munana, disse que a Expo vai contar com cerca de 500 expositores, entre nacionais e estrangeiros, o que supera a edição anterior em termos de participação.
A diversificação do leque de produtos a serem expostos vai ser uma das inovações da maior feira da região, que é esperada pelos pequenos agricultores com muita expectativa.
Luís Munana disse que, neste momento, se está a trabalhar na ampliação e vedação do perímetro da feira, que conta com 11 hectares, na construção de barracas e stands para a exposição dos produtos.
Já foram enviados os convites aos expositores locais, nacionais e estrangeiros.
Para o êxito da iniciativa, disse ser necessária a conjugação de sinergias entre os diferentes organismos da administração local do Estado, como as direcções provinciais e administrações municipais, na mobilizadas de empresas públicas e privadas, associações e cooperativas agropecuárias, dada a importância que se pretende atribuir o evento.
 “Solicitámos às potenciais empresas da província que dêem o seu contributo. Os recursos são sempre escassos e, como pretendemos fazer uma feira exemplar, com qualidade e grande ­participação de pessoas, temos de angariar mais fundos para podermos desenvolver as actividades, de acordo com tudo que se está a planificar”, explicou.  A quarta feira agropecuária de Cacanda realiza-se sob lema “Lunda Norte terra de esperança, a semente que germina para o desenvolvimento do país”.
 Entre os expositores estrangeiros, destacam-se os da África do Sul, Namíbia, Zâmbia, República Democrática do Congo, Brasil e empresas estrangeiras que trabalham na província.  O administrador da feira referiu que para esta edição vai haver inovações, como a realização de colóquios, actividades culturais e recreativas e a entrega de prémios aos expositores que apresentarem produtos com qualidade, de forma a incentivá-los.
Para abordarem os diferentes temas a serem debatidos nos colóquios, foram convidados especialistas nacionais de reconhecida idoneidade, que vão falar sobre a importância da agropecuária, produção de alimentos e a importância da fruticultura.
Luís Munana desvalorizou a preocupação de algumas pessoas relativamente ao facto da feira de Caconda se realizar em Novembro, mês normalmente de muita chuva na província, e garantiu estarem acauteladas todas as eventuais situações que venham a ocorrer.
Para o efeito, foram construídas armazéns para armazenamento dos produtos e criadas condições que permitam às pessoas trabalharem em segurança e bem protegidas.
A terceira edição da Expo Cacanda realizou-se em 2011 e contou com a participação de 120 cooperativas e 160 associações de camponeses locais, além de expositores das províncias do Huambo, Benguela e Malanje e de empresas agropecuárias da Namíbia e Brasil.

Tempo

Multimédia