Províncias

Fábrica de chapas de zinco no Dundo regista uma fraca procura do produto

João Silva | Dundo

A fábrica de chapas de zinco, localizada no Dundo, província da Lunda-Norte, continua a registar fraca concorrência de pessoas, para a compra do seu produto, constatou o Jornal de Angola, no local.

Por desconhecimento da existência da fábrica a população recorre ao mercado informal
Fotografia: JA

A fábrica de chapas de zinco, localizada no Dundo, província da Lunda-Norte, continua a registar fraca concorrência de pessoas, para a compra do seu produto, constatou o Jornal de Angola, no local.
De capital angolano, a fábrica foi inaugurada em Fevereiro último, segundo a gerente, Suzete Muachissengue.
A unidade fabril, acrescentou a gerente, tem tido como potenciais compradores os grossistas, que adquirem as chapas de zinco para a sua revenda em locais mais próximos da população.
“A fábrica produz mil chapas de zinco caneladas de três e seis metros, por dia”, disse Suzete Muachissengue, acrescentando que “a pouca procura por parte de pessoas singulares não tem a ver com os preços praticados, mas sim com o desconhecimento da existência da fábrica e a distância onde a mesma está localizada”.
Os preços, ainda de acordo com Suzete Muachissengue, variam de acordo com a qualidade, as cores das chapas de zinco e os custos da matéria-prima. />Exemplificando, Suzete Muachissengue disse que uma chapa de zinco cinzenta, de três metros, custa 1.950 kwanzas, a vermelha 2.550 e a azul 1.950 kzs.
Para a de seis metros, uma chapa cinzenta é vendida a 4.050 kzs, a vermelha a 5.500 e a azul a 4.050 Kwanzas.
“Para os grossistas que adquirem mais de mil chapas de zinco, os valores sofrem uma redução de mil Kzs”, disse a gerente, referindo que a principal dificuldade que a fábrica está a enfrentar são os custos elevados da aquisição e transportação da matéria- prima.
Suzete Muachissengue disse que, para garantir o seu funcionamento, a unidade fabril conta com 25 trabalhadores nacionais, na sua maioria jovens que conseguiram o seu primeiro emprego.
Na província da Lunda-Norte, refira-se, estão a ser erguidas várias infra-estruturas de impacto social e a maior parte da matéria-prima é importada. Das obras, destaque para a construção de hospitais e escolas, em todas as localidades.

Tempo

Multimédia