Províncias

Faculdade de Economia necessita de professores

Isidoro Samutula | Dundo

A Faculdade de Economia da Universidade Lueji A Nkonde necessita de professores para cobrir as vagas existentes no presente ano académico, revelou ontem, no Dundo, o coordenador do curso de Economia, Paulo dos Santos Neto Malungo.

A Faculdade de Economia da Universidade Lueji A Nkonde necessita de professores para cobrir as vagas existentes no presente ano académico, revelou ontem, no Dundo, o coordenador do curso de Economia, Paulo dos Santos Neto Malungo.
O responsável disse que, para uma cobertura plena do curso em todas as disciplinas, a Faculdade de Economia  necessita, no mínimo, de 28 professores, tendo em conta o número de salas que a instituição dispõe. Sublinhou que actualmente a faculdade funciona com professores na sua maioria colaboradores.
“Temos falta de professores e de infra-estruturas, estamos à espera do pronunciamento da reitoria da Universidade quanto à contratação de novos professores, mas o outro problema com que nos deparamos é a falta de residências para albergar os docentes”, disse o responsável.
Paulo dos Santos Malungo frisou que o curso de Economia conta com seis salas pertencentes à Escola Superior Pedagógica, das quais três para aulas, uma como biblioteca, uma que atende a área académica e a outra onde funciona a coordenação. Paulo Malungo acrescentou que necessita de infra-estruturas próprias onde todas as áreas possam funcionar, desde as salas, departamentos e áreas administrativas.
O coordenador apontou também como outra dificuldade os problemas financeiros que a faculdade vive, dependendo apenas das propinas mensais dos estudantes para garantir o pagamento do pessoal docente e administrativo. “A Faculdade de Economia ainda não é orçamentada e os valores cobrados nas propinas não são suficientes para cobrir todas as necessidades da faculdade”, afirmou Paulo dos Santos.
Para o presente ano lectivo, disse, a coordenação aguarda pela reitoria, para a definição de números de vagas, anunciando que estão inscritos cerca de 150 candidatos para o exame de acesso, que se realiza dia 6 de Fevereiro nas disciplinas de matemática e história. Adiantou que o curso de Economia conta com as especialidades de gestão, auditoria e contabilidade no ramo de consultoria económica e financeira.
Para além das dificuldades apontadas, o docente considerou de positivo o ano académico transacto, sendo que se trata duma instituição de recente criação. “Os estudantes tiveram um nível de aproveitamento desejado, graças à capacidade de desdobramento dos professores”, concluiu Paulo dos Santos.

Tempo

Multimédia