Províncias

Falta de infra-estruturas atrasa criação de mais cursos

Armanodo Sapalo | Dundo

A falta de infra-estruturas capazes de absorver o crescente número da população estudantil está a dificultar as acções tendentes à expansão de novos cursos a nível da Universidade Lueji A´Nkonde (ULAN), considerou, no Dundo, o reitor da instituição.

A Universidade Lueji A´Nkonde está determinada a assegurar uma formação profissional de excelência na Administração Pública e garantir a capacitação de quadros qualificados
Fotografia: José Soares

O reitor Samuel Carlos Vitorino disse que a reitoria da universidade tem estado a envidar esforços para dotar as unidades orgânicas com mais infra-estruturas, de forma a garantir melhor ensino à região académica, por meio da abertura de novos cursos.
O reitor salientou que a exiguidade de infra-estruturas não tem permitido ainda a expansão de outros cursos que existem em carteira.
No âmbito do programa de construção de infra-estruturas integradas, o Governo Provincial da Lunda Norte, em coordenação com as estruturas centrais, prevê construir, no próximo ano, o campus universitário, numa área de 993 hectares.
A materialização do projecto de construção do campus, no Dundo, é aguardada com muita expectativa, tendo em conta que o seu surgimento vai contribuir significativamente para a redução da carência de infra-estruturas que a ULAN enfrenta.
A criação de infra-estruturas integradas, afirmou o reitor, vai permitir igualmente atrair mais jovens estudantes à Universidade Lueji A´Nkonde, cujo futuro reserva desafios bastante ambiciosos, com vista à concretização do Plano Nacional de Formação de Quadros.
Samuel Vitorino salientou que a universidade tem sete unidades orgânicas em pleno funcionamento, o que constitui “um ponto de partida para o reforço da oferta de cursos à comunidade académica da região”, principalmente no seio da juventude. Acções concretas devem ser desencadeadas, visando fortalecer a universidade com mais infra-estruturas, para o êxito do Plano Nacional de Formação de Quadros, por ser um instrumento importante de aplicação de estratégia de promoção de emprego e de valorização de recursos humanos nacionais.
A Universidade Lueji A´Nkonde está determinada em assegurar uma formação profissional de excelência na Administração Pública e garantir a capacitação de quadros altamente qualificados, com reflexos benéficos na economia da região e do país, disse Samuel Vitorino .
O reitor da Universidade Lueji A´nkonde manifestou-se preocupado com a gritante falta de professores a nível da instituição, sobretudo nas faculdades de Direito e Economia no Dundo e na Escola Superior Politécnica do município do Cuango.
“O número de docentes na nossa universidade ainda não satisfaz, tanto em quantidade, como em qualidade, mas vamos recrutando jovens licenciados, para colmatar essas dificuldades, proporcionando-lhes formação em pós-graduação", disse.
Este problema arrasta-se há algum tempo, mas garantiu que continuam em curso contactos junto do Ministério do Ensino Superior, para a contratação de novos professores.
A inauguração da nova Centralidade do Dundo foi apontada pelo reitor como um factor determinante para atrair mais quadros à docência na universidade, uma vez que a inexistência de infra-estruturas habitacionais provoca a fuga de muitos jovens para outras províncias. O corpo docente da instituição é assegurado por cerca de 200 professores, entre nacionais e estrangeiros, tendo considerado que o número é insuficiente para responder às necessidades pedagógicas da universidade.
No presente ano académico, a instituição tem matriculado mais de 800 estudantes a nível das unidades orgânicas espalhadas pelas províncias das Lundas Norte e Sul e Malanje.

Tempo

Multimédia