Províncias

Falta de infra-estruturas está a dificultar trabalho

João Silva| Dundo

A falta de infra-estruturas próprias, transporte de apoio e melhores condições sociais dos efectivos, têm estado a dificultar os trabalhos da Protecção Civil e Bombeiros da Província da Lunda-Norte.

Incêndios e acidentes de viação foram as principais ocorrências registadas este ano
Fotografia: Dombele Bernardo

A falta de infra-estruturas próprias, transporte de apoio e melhores condições sociais dos efectivos, têm estado a dificultar os trabalhos da Protecção Civil e Bombeiros da Província da Lunda-Norte.
O comandante provincial da Lunda-Norte  dos Serviços de Protecção Civil e Bombeiros, Estêvão Cathoto, que avançou os dados, acrescentou que constam ainda das dificuldades do órgão a ausência de material aquático, como lanchas, canoas a motor, para facilitar a actividade de salvamento das pessoas e a remoção de cadáveres.
Durante o primeiro trimestre do corrente ano, acrescentou, o órgão registou um total de 421 ocorrências, com destaque para 33 casos de incêndios, sete acidentes de viação, seis afogamentos e 375 desabamentos de residências.
Estêvão Cathoto assegurou ao Jornal de Angola, que dessas ocorrências resultaram 14 mortos, seis feridos graves e danos materiais avultados. As causas que motivaram esses incidentes foram negligência, curto-circuitos, fogo posto, e falta de acatamento das normas.
Os sectores mais afectados, de acordo com o comandante provincial da Lunda-Norte dos Serviços de Protecção Civil e Bombeiros, foram residências, com 18 casos, transportes com dez, energia e água com três, prestação de serviço com 15 e o sector comercial registou um único caso. A instituição registou ainda outros incidentes que totalizaram 374 casos.
Quanto ao serviço de socorro, o comando provincial da Protecção Civil e Bombeiros, registou no total 104 casos, sendo 22 por extinção de incêndios e seis por chamadas para remoção de cadáveres.
O comando provincial registou ainda um caso de neutralização de enxame e 132 serviços especiais de acompanhamento de aviões, que ao longo deste período escalaram os aeródromos do Dundo, Nzagi, Lucapa e Cuango.
Na Lunda-Norte, ainda de acordo com Estêvão Cathoto, o comando Provincial de Protecção Civil e Bombeiro controla sete brigadas contra incêndios, sendo duas no Dundo, localizadas no Museu e na central hidroeléctrica do Luachimo, três no município de Cambulo e duas no Lucapa.

Tempo

Multimédia