Províncias

Falta de técnicos de saúde especializados atrapalha atendimento médico no Cuilo

Isidoro Samutula| Dundo

A falta de técnicos a nível do centro de saúde do município do Cuilo, na província da Lunda-Norte, está a criar dificuldades no atendimento aos pacientes que acorrem diariamente àquela unidade sanitária, disse o seu responsável.

Centro médico do Cuilo tem dificuldades na assistência dos muitos pacientes que procuram todos os dias por serviços médicos
Fotografia: Benjamin Cândido

A falta de técnicos a nível do centro de saúde do município do Cuilo, na província da Lunda-Norte, está a criar dificuldades no atendimento aos pacientes que acorrem diariamente àquela unidade sanitária, disse o seu responsável.
João Mutaza disse ontem que o centro conta actualmente com um médico pediatra e nove enfermeiros, número que considerou insuficiente para atender os elevados casos que chegam à unidade sanitária. Para minimizar os problemas que o centro enfrenta relativos ao atendimento aos pacientes, os poucos técnicos são obrigados a redobrar esforços para diminuir o tempo de espera.
O responsável do centro referiu que o município regista actualmente um aumento da densidade populacional, razão pela qual vão surgindo muitas epidemias que necessitam de uma intervenção imediata dos técnicos.
Fruto deste crescimento populacional, o responsável disse que são necessários mais 45 técnicos, incluindo especialistas de maternidade, pediatria, cirurgia e ortopedia, para o centro municipal e vários postos de saúde a nível dos bairros.
Devido à inexistência destes técnicos especializados, o centro presta apenas serviço de medicina geral e cirurgia, enquanto a área de maternidade funciona de forma deficiente. O estabelecimento de saúde dispõe igualmente de uma farmácia e ambulância, o que tem facilitado a transferência de pacientes graves para unidades de referência. Os casos de ortopedia são transferidos para a cidade de Saurimo, na província da Lunda-Sul, a cerca de 350 quilómetros, situação que tem influenciado o agravamento do estadode muitos pacientes. No entanto, João Mutaza acredita que esta situação pode estar ultrapassada em breve, uma vez que as autoridades provinciais estão a fazer um esforço para incrementar vários programas de ampliação e modernização dos serviços de saúde. “As dificuldades que o município vive hoje serão ultrapassadas em breve”, disse.

Tempo

Multimédia