Províncias

Falta de técnicos no município do Dundo preocupa as autoridades da Agricultura

João Silva| Dundo

A falta de técnicos médios e superiores para o desenvolvimento da actividade agro-pecuária no município do Dundo, no âmbito do programa municipal integrado de combate à pobreza, preocupa as autoridades locais.
O vice-governador para a esfera económica, Porfírio Muacassanje, disse, no termo de uma visita efectuada aos sectores da agricultura e pecuária do Dundo, que são necessários pelo menos 80 técnicos médios e 15 superiores para apoiar a execução dos projectos em curso na província da Lunda-Norte.

Camponeses têm recebido vários apoios no âmbito do programa de combate à pobreza
Fotografia: Jornal de Angola

A falta de técnicos médios e superiores para o desenvolvimento da actividade agro-pecuária no município do Dundo, no âmbito do programa municipal integrado de combate à pobreza, preocupa as autoridades locais.
O vice-governador para a esfera económica, Porfírio Muacassanje, disse, no termo de uma visita efectuada aos sectores da agricultura e pecuária do Dundo, que são necessários pelo menos 80 técnicos médios e 15 superiores para apoiar a execução dos projectos em curso na província da Lunda-Norte.
Porfírio Muacassanje visitou as instalações da Direcção Provincial da Agricultura e Desenvolvimento Rural, do Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA), Instituto de Desenvolvimento Florestal (IDF), o centro de climatização de produtos agrícolas e o projecto agro-pecuário da Cacanda.
O vice-governador esteve reunido com os chefes dos departamentos e disse que apesar de existirem algumas dificuldades, a avaliação é positiva. No encontro com os membros da Direcção da Agricultura, foi recomendado o recrutamento de mais quadros técnicos.
As Administrações Municipais da Lunda-Norte têm estado a adquirir os meios de produção agrícola nos mercados fora da província, porque desconhecem que eles existem nos armazéns do Instituto de Desenvolvimento Agrário no Dundo. O vice-governador para o sector Económico revelou que uma das recomendações às Administrações Municipais foi que recorressem à logística existente no Instituto de Desenvolvimento Agrário para adquirir os meios e instrumentos de produção, previstos dentro do Programa Municipal Integrado de Desenvolvimento Rural e de Combate à Fome e à Pobreza.
A actividade agro-pecuária na Lunda-Norte, definida como prioritária pelo governador da província, Ernesto Muangala, está no bom caminho, com o projecto agro-pecuário de Cacanda, neste momento em fase experimental.
Porfírio Muacassanje garantiu que, num curto espaço de tempo, o Governo Provincial vai lançar a primeira pedra do projecto agro-pecuário do Calonda, município do Lucapa, e outro em Capenda Camulemba, numa área de 200 mil hectares, para a produção de arroz: “pensamos que com os projectos a funcionar em pleno temos o problema da produção interna resolvido”, disse o vice-governador.
José Mendes, director provincial da Agricultura e Desenvolvimento Rural da Lunda-Norte, disse que além da falta de técnicos, o sector tem estado a enfrentar dificuldades com a falta de meios de transporte e de estações de desenvolvimento agrário na província, que é composta por nove municípios.
Com estas estruturas implantadas, é possível aproximar a assistência técnica aos produtores e o controlo da produção agrícola e pecuária na província. José Mendes disse que o Governo Provincial tem um projecto para instalar, em breve, uma estação de desenvolvimento agrário em Caungula, para atender o Lubalo e Cuilo.
Na sede da província, o governo da Lunda-Norte, através da Direcção Provincial da Agricultura, está a concluir um projecto de parceria pública com a empresa Capelongo, para experimentar as culturas de arroz, ananás, banana e cana-de-açúcar e permitir reduzir os índices de pobreza nas comunidades.

Tempo

Multimédia