Províncias

Fortes chuvas causaram danos na nova centralidade do Dundo

Armando Sapalo | Dundo

Moradores dos apartamentos das zonas três a seis da Centralidade do Mussungue, o maior projecto habitacional construído no Dundo, na Lunda Norte, estão privados do fornecimento de energia eléctrica, há alguns dias, devido à destruição, pelas chuvas, de um dos postos de transformação (PT), informou, no sábado, o representante da empresa Imogestin na província.

Responsável da Imogestim na província da Lunda Norte pediu calma aos moradores pelos danos e garantiu dar solução ao problema
Fotografia: Armando Sapalo

António Fernandes explicou que a chuva que caiu na madrugada de quinta-feira sobre a cidade do Dundo, acompanhada de ventos fortes e granizo, causou danos substanciais em 21 disjuntores do Posto de Transformação (PT), que garante o fornecimento de energia eléctrica a algumas zonas da centralidade.
Neste momento, técnicos da empresa PAN China, responsável pela construção da centralidade, em coordenação com a Empresa Nacional de Electricidade (ENDE), estão a envidar esforços para, dentro de dias, solucionarem a situação.
O representante da Imogestin na província pediu calma aos moderadores pelo danos causados e garantiu que os técnicos já trabalham na recuperação e substituição dos disjuntores afectados.
“O fornecimento de energia eléctrica é um serviço indispensável para o   bem-estar das famílias e, por isso,   a sua reposição acontece o mais depressa possível, a julgar pelo empenho dos técnicos da PAN China e da ENDE, que trabalham arduamente para devolver a alegria aos moradores”.  
António Fernandes descartou a hipótese de haver danos maiores, uma vez que todas as avarias encontradas nos postos de transformação nas casas foram devidamente avaliados.
A centralidade do Dundo é abastecida através de uma central térmica, com capacidade de 30 megawatts, construída pelo Ministério de Energia e Águas, no quadro das acções de Investimentos Públicos.
A  infra-estrutura do sector eléctrico, inaugurada em Março de 2014 pelo ministro da Energia e Águas João Baptista Borges, é assegurada por oito grupos  geradores e está implantada numa área de 13.000 metros quadrados. A sua gestão está a cargo da Empresa Nacional de Produção de Electricidade (PRODEL).
O projecto foi implantado no âmbito dos programas estruturantes do Executivo, que visam garantir a modernização do sector eléctrico e melhorar os serviços essenciais às populações da capital da Lunda Norte.  A central térmica do município do Dundo, pela sua dimensão e capacidade de produção, está concebida para fornecer energia eléctrica à centralidade do Mussungue e aos distritos urbanos do Dundo e Chitato.

Centralidade do Mussungue

A Centralidade do Mussungue, que conta com 5.004 apartamentos, é o maior projecto de fomento habitacional na Lunda Norte, construído no âmbito do programa de urbanização e requalificação da cidade do Dundo.
 A nova cidade do Dundo dispõe de apartamentos de várias tipologias. A meta estabelecida pelo Executivo é atingir 20.000 apartamentos, com vista a responder a grande procura e o sonho pela obtenção da casa própria.  As obras são executadas em quatros fases, de acordo com a disponibilidade financeira.
O processo de comercialização das casas da Centralidade do Mussungue, por via da renda resolúvel, começou em Dezembro do ano passado, altura em que os primeiros moradores começaram a receber as chaves. Actualmente, cerca de 5.000 famílias já vivem na Centralidade do Mussungue.
No mesmo espaço foi construído um Hospital Geral com capacidade de 92 camas, uma escola com 50 salas, além de uma creche para  900 crianças.

Tempo

Multimédia