Províncias

Governo da Lunda Norte entrega terra desbravada

Armando Sapalo| Dundo

Camponeses organizados em associações e cooperativas vão beneficiar, no próximo ano, de cerca de 20 mil hectares de terra devidamente desbravados, assessoria técnica, sementes e fertilizantes, destinados a promover a actividade agrícola familiar, anunciou na cidade do Dundo o governador. 

Adquiridos sementes para a produção de cereais de modo a incentivar a criação de oportunidade de rendimento às famílias rurais
Fotografia: Benjamim Cândido

Ernesto Muangala disse durante a cerimónia de apresentação de cumprimentos de fim-de-ano que a aposta na agricultura surge como suporte financeiro ao Programa de Investimentos Públicos (PIP 2015) e é extensivo ao desenvolvimento da mulher rural, com a aplicação de actividades económicas nas comunidades.
A intenção é aumentar os níveis de produtividade e melhorar a dieta alimentar da população, no quadro das acções que visam reduzir o consumo de produtos importados na região.
Para apoiar os camponeses, o Governo Provincial adquiriu sementes de milho, feijão e arroz, tendo em vista o fomento da produção de cereais e incentivar a criação de oportunidades de rendimento às famílias rurais.
O governador garantiu maior empenho dos quadros do sector para se ultrapassar as dificuldades e insuficiências do ponto de vista técnico e material, para serem alcançadas as metas preconizadas e contribuir para o êxito das acções de redução da pobreza nas comunidades. O Governo da Lunda Norte estabeleceu como prioridades acções concretas que estimulem o surgimento de mais empresas agrícolas familiares, apoio técnico e material às empresas do sector, formação de quadros e o acesso ao financiamento bancário, visando relançar a agricultura e obter níveis de produtividade satisfatórios, a médio e a curto prazo. Para o aumento da rede de escoamento de produtos agrícolas e de pesca, são estabelecidos mecanismos eficazes por via da criação de programas especiais de apoio à mulher rural, com abertura de micro empresas, de forma a estimular a sua inclusão nos sectores sócio-produtivos.
A mulher rural ocupa um lugar de grande importância no tecido produtivo e ressaltou o empenho do Governo Provincial para contrapor a invisibilidade social que se regista actualmente.
As autoridades provinciais, em parceria com a Endiama e Organizações Não-Governamentais, têm em perspectiva o fornecimento de meios agrícolas às cooperativas e associações para auxílio à mulher rural. O governador provincial defendeu o trabalho directo com as instituições financeiras, sobretudo os bancos comerciais, para facilitar o acesso ao micro crédito das associações e cooperativas agrícolas em que estão integradas as mulheres rurais.
No próximo ano e pela primeira vez na história da Lunda Norte, vão, de forma indiscriminada, ser registados os direitos de obtenção de parcelas de terrenos, para mulheres e homens, destinadas ao cultivo, no sentido de evitar situações de abusos de propriedade.
A melhoria das condições de trabalho e sociais das parteiras tradicionais, através da atribuição de subsídios e entrega de kits de material técnico, foi também referenciado pelo governador no quadros dos programas de apoio à mulher rural.

Outros programas


O governo da Lunda Norte em 2015 vai igualmente envidar esforços tendentes a melhorar as vias secundárias e terciárias que ligam as sedes municipais, comunais e localidades com maior aglomeração populacional, assim como o reforço da rede de transportes públicos. 
Em relação ao sector da Educação nem tudo vai mal. Neste momento funcionam 1.146 salas de aulas, mas há necessidade de reforçar o sistema, com a construção de mais 432 salas. 
Ainda no sector da Educação, há igualmente necessidade de aumento de mais salas para a alfabetização das comunidades, no âmbito de uma maior integração sócio-cultural da população rural.
A rede de infra-estruturas sanitárias é ampliada, com o surgimento de hospitais materno-infantis em todos os municípios, centros e postos de saúde nas circunscrições comunais, assim como a colocação de médicos e enfermeiros.

Tempo

Multimédia