Províncias

Governo Provincial está a pagar dívidas

Armando Sapalo| Lucapa

O Governo Provincial da Lunda Norte vai, dentro de dias, efectuar o pagamento das verbas em atraso correspondentes às empreitadas que estão em curso a nível do município do Lucapa, garantiu o governador Ernesto Muangala.

Membros do Governo da Lunda Norte estiveram reunidos com os responsáveis de empresas de construção civil e de fiscalização
Fotografia: Benjamim Cândido| Lucapa

Ao intervir num encontro com responsáveis de empresas de construção civil e de fiscalização de obras de impacto social no município do Lucapa, o governador provincial da Lunda Norte assegurou que as autoridades vão honrar os seus compromissos de execução financeira.
Ernesto Muangala reconheceu que os níveis de execução física das infra-estruturas, enquadradas no Programa de Investimentos Públicos (PIP) da província e da Linha de Crédito da China, são superiores à execução financeira.
O governante avançou que todas as obras em curso no Lucapa decorrem a bom ritmo, daí as reclamações por parte dos empreiteiros acerca dos atrasos que se verificam nos pagamentos, uma vez que os níveis de execução física das empreitadas se apresentam superiores à financeira.
O responsável assegurou que esta situação vai ser corrigida, tendo assegurado aos responsáveis das construtoras e das empresas de fiscalização que “todos pagamentos em atraso vão ser feitos por via da programação financeira do mês de Agosto”.
Ernesto Muangala disse que o Governo Provincial, em coordenação com as estruturas centrais, está fortemente apostado em desenvolver um conjunto de obras que tenham reflexos positivos na vida das populações.
Para isso, é preciso haver uma participação honrosa, quer das autoridades governamentais, quer daqueles à quem são adjudicadas as referidas empreitadas.
O governador reconheceu ainda que os empreiteiros, na qualidade de parceiros do governo, estão bastante empenhados e a desenvolver um trabalho digno de reconhecimento, daí prometer que o Gabinete de Estudos, Planeamento e Estatística vai proceder a liquidação das dívidas no mais curto espaço de tempo.
Ernesto Muangala defendeu que, apesar dos constrangimentos relacionados com a morosidade dos pagamentos por parte do Governo Provincial, as empresas de construção civil, no quadro da sua capacidade financeira, devem prosseguir com as obras sociais no sentido de se aliarem aos esforços tendentes à melhoria das condições de vida das populações.

Reforço de serviços

O governador destacou as acções prioritárias em curso no município do Chitato, que se consubstanciam no reforço do sistema de ensino, através da construção de 45 novas salas de aula, que, no próximo ano lectivo, vão receber mais de cinco mil alunos. Além do sector da Educação, o governador referiu a atenção especial que está a ser dada à Saúde, com o surgimento do novo Hospital Municipal e a reabilitação e modernização do centro materno-infantil do Calonda.
Até 2017, anunciou, Lucapa vai ter o problema de assistência sanitária reduzido, pois foram recentemente concluídas as obras de reabilitação e de ampliação, de 65 para 100 camas, do antigo hospital local, além dos vários postos de saúde erguidos nas sedes comunais e localidades de maior aglomeração populacional.
Ernesto Muangala informou que os sistemas de produção, distribuição e abastecimento de água aos habitantes do Lucapa e de zonas periféricas vão ser melhorados com a construção de uma nova captação, que vai produzir dez mil metros cúbicos por dia.
Destacou ainda como investimento de grande valia, a recuperação da estrada que liga as sedes municipais do Lucapa e Cambulo, num percurso de 120 quilómetros, um pressuposto importante para garantir a circulação das pessoas, promover o intercâmbio comercial, tendo em conta as potencialidades de produção agrícola dos dois municípios.
O governador Muangala enalteceu a dinâmica, entrega e o espírito de criatividade demonstrados pela Administração Municipal do Lucapa, daí afirmar que as acções programadas em todos os municípios da província vão merecer um acompanhamento rigoroso do governo.

Tempo

Multimédia