Províncias

Governo reforça apoio a camponeses para o aumento da produção agrícola

João Silva|

O governador da Lunda-Norte, Ernesto Muangala, reafirmou, segunda-feira, a necessidade do executivo local em continuar a apoiar os camponeses com crédito bancário e instrumentos de produção, como forma de incentivar e fomentar a actividade agro-pecuária na província.

Camponeses têm sido apoiados com sementes, fertilizantes, instrumentos de trabalho e créditos bancários para o aumento da produção
Fotografia: JA

O governador da Lunda-Norte, Ernesto Muangala, reafirmou, segunda-feira, a necessidade do executivo local em continuar a apoiar os camponeses com crédito bancário e instrumentos de produção, como forma de incentivar e fomentar a actividade agro-pecuária na província.
Ernesto Muangala fez esta afirmação durante a sessão de abertura da assembleia de balanço e renovação de mandatos provincial da União Nacional dos Camponeses -UNACA, no Dundo.
O governante garantiu que aos camponeses organizados em associações e cooperativas, com apoio do governo, vão ser concedidos crédito bancário, desde que reúnam as condições e os requisitos exigidos pelas entidades bancárias da província.
Sublinhou ser necessário que a população se mobilize para desenvolver a agricultura, no quadro da estratégia que visa o combate à fome e à pobreza no país.
Na óptica do governador da Lunda-Norte, os camponeses e pequenos produtores agro-pecuários devem constituir-se em parceiros firmes do governo na luta para a criação das bases para a estabilidade económica e social da província.
Incentivou os camponeses a diversificar as culturas, para além das tradicionais, como base de apoio aos futuros projectos da indústria agro-alimentar na província.
Ernesto Muangala fez uma retrospectiva sobre o passado de exploração de diamantes, iniciada em 1917, que teve repercussões negativas no desenvolvimento da agricultura, e recordou que, antes da exploração dos diamantes, o território foi sempre habitado por uma população fundamentalmente camponesa, com forte tradição na actividade agrícola”.
Participaram no encontro, que reconduziu Daniel Mutambuleno para mais quatro anos de mandato no cargo de presidente da UNACA na Lunda-Norte, 118 delegados dos 120 previstos, provenientes dos nove municípios, dos quais 29 mulheres.
Durante os trabalhos, que decorreram na cooperativa Mbungue Ipema, os responsáveis das associações de camponeses e das cooperativas agrícolas aprovaram o relatório de actividades desenvolvidas pela UNACA local desde 2005 até ao primeiro semestre de 2010.
Os participantes ao certame aprovaram, igualmente, o plano director, que será desenvolvido entre 2010\2014, bem como elegeram os 16 delegados que vão representar a UNACA da Lunda-Norte na assembleia da confederação nacional do órgão, a realizar-se em Setembro próximo em Luanda.
Ricardina Machado, secretária da direcção geral da UNACA e coordenadora do grupo de acompanhamento para a província da Lunda-Norte, acredita que, com a reeleição dos órgãos directivos da organização, serão alcançados os objectivos gerais que os membros das associações de camponeses traçaram, com vista ao aumento dos níveis de produção dos principais produtos cultivados na região.
Apelou aos camponeses no sentido de viabilizarem iniciativas para a criação de salas de aulas de alfabetização e para parteiras tradicionais, de forma a combater o analfabetismo e diminuir a mortalidade materno-infantil na zonas rurais.

Tempo

Multimédia