Províncias

Grupos vulneráveis na Lunda Norte recebem apoio

Armando Sapalo| Dundo

A escassez de bens alimentares e de primeira necessidade que se regista a nível do país para prestar assistência aos grupos vulneráveis preocupa a administração da Empresa Nacional de Diamantes de Angola (Endiama), afirmou, na cidade do Dundo, o  presidente do Conselho de Administração da empresa .

Endiama ajuda Governo Provincial da Lunda Norte a minimizar as dificuldades enfrentadas pelas camadas mais vulneráveis da região
Fotografia: João Gomes|Edições Novembro

Carlos Sumbula, que falava à imprensa à margem da cerimónia de entrega de um donativo composto por bens alimentares, material higiénico e de construção ao Governo Provincial da Lunda Norte, considerou ser necessário um esforço redobrado que permita melhorar a capacidade de mobilização para a assistência social.
A assistência social aos grupos vulneráveis, segundo Carlos Sumbula, tem sido responsabilidade do governo por via do abastecimento regular de produtos diversos às representações da Administração Local do Estado, mas a crise financeira que afecta o país está a interferir negativamente no programa.
O presidente do Conselho de Administração da Endiama defende que as organizações do sector empresarial público, privado e outras forças vivas da sociedade angolana devem aliar-se às acções do governo, com iniciativas viradas para actividades solidárias de apoio aos vulneráveis.
Carlos Sumbula, que considerou a solidariedade como um factor determinante e indispensável para o fortalecimento da Nação, garantiu que da parte da Endiama, enquanto empresa pública com responsabilidades acrescidas, à semelhança da cerimónia que aconteceu na Lunda Norte, outras regiões do país vão receber apoios destinados a servir de apoio aos desfavorecidos.
O PCA da multinacional diamantífera sublinhou que deslocou-se à Lunda Norte no âmbito da 15ª edição do Campo Nacional de Férias de Estudantes Universitários (CANFEU), que a província acolheu, onde abordou com a juventude as estratégias gizadas pela Endiama para o processo de aceleração da diversificação da matriz económica do país.
Carlos Sumbula disse que a Endiama está ao corrente das dificuldades financeiras que os governos provinciais enfrentam em termos de mobilização de recursos para garantir assistência aos mais carenciados.
Entre os produtos da cesta básica oferecidos pela Endiama, através da Fundação Brilhante, destacam-se fuba de milho, massa e óleo alimentar, açúcar, sal e bolachas. A Endiama doou também 249 sacos de cimento, 140 caixas de pregos, além de 150 caixas de sabão.
A nível da província da Lunda Norte estão identificados pelo governo, através da direcção da Assistência e Reinserção Social, mais de 1.800 pessoas em situação de vulnerabilidade, entre portadores de deficiência física, idosos, viúvos, mulheres solteiras, órfãos e crianças refugiadas.
Carlos Sumbula apela a outras empresas que operam na província a juntarem-se ao governo para o reforço da assistência social aos vulneráveis.
O governador provincial, Ernesto Muangala, que recebeu o donativo das mãos do PCA da Endiama, garantiu que as autoridades vão criar as condições técnicas para que os produtos cheguem aos destinatários.  “Não obstante as dificuldades impostas pela crise financeira, o Governo Provincial da Lunda Norte tem estado a envidar esforços no sentido de reduzir as dificuldades enfrentadas pelas camadas mais vulneráveis da sociedade”, disse o governador, que agradeceu o gesto da Endiama, acrescentando que tem sido um grande parceiro do governo, sobretudo em momentos mais difíceis.

Tempo

Multimédia