Províncias

Hospital Central reforçado com meios de diagnóstico

Benjamin Cândido | Dundo

O Hospital Central do Dundo, unidade sanitária de referência na província da Lunda-Norte, foi reforçado com meios modernos de diagnóstico, entre eles um aparelho de ecografia e outro de electrocardiografia.

A vice-governadora para o sector político e social fez a entrega simbólica dos novos meios de diagnóstico do Hospital Central do Dundo
Fotografia: Benjamim Cândido | Dundo

O hospital recebeu, igualmente, uma ambulância e uma viatura de apoio aos serviços administrativos, que também vai servir para transportar medicamentos de Luanda para a província.
Os equipamentos foram formalmente entregues pela vice-governadora para o sector político e social, Angélica Ihungo.
O director-geral do Hospital Central do Dundo, Gimi Nhunga, disse que os meios postos à disposição da unidade sanitária ajudam a ultrapassar algumas dificuldades de diagnóstico de patologias, mas realçou a necessidade de se adquirirem mais equipamentos modernos e quadros especializados, para fazer face às principais endemias que se registam na região.
O médico salientou que a nova ambulância vai ter uma importância significativa na transferência dos pacientes, uma vez que está devidamente equipada com serviços de comunicação e um conjunto de instrumentos destinados a prestar os primeiros socorros. 
As autoridades locais estão a dar uma especial atenção ao Hospital Central do Dundo, salientou, por ser um estabelecimento sanitário de referência, ao qual acorrem pacientes vindos de todos os municípios da província.
Agora, mais do que nunca, o hospital está preparado para atender todas as emergências decorrentes da quadra festiva, sublinhou. “Posso tranquilizar as populações que estamos preparados para atender todas as emergências nesta quadra festiva, tanto em termos de fármacos, como de material gastável, sacos de sangue, gesso, seringas, entre outros meios”, disse Gimi Nhunga, que garantiu mais transparência na gestão dos medicamentos, “uma vez que devem ser distribuídos gratuitamente aos doentes”.

Obras de reabilitação

O Hospital Central do Dundo está a ser submetido a obras de reabilitação, que vão permitir elevar a capacidade de internamento de 190 para cerca de 200 camas. Os trabalhos decorrem a bom ritmo e, numa primeira fase, beneficiaram, entre outros serviços, o banco de urgência, o laboratório de análises clínicas, bloco operatório e o centro de hemoterapia.
 Também estão em curso obras destinadas a melhorar as condições de internamento nos serviços de pediatria e maternidade, tendo em conta o elevado número de mulheres e crianças que dão entrada naquelas áreas.
Os trabalhos de recuperação do Hospital Central do Dundo consistem no revestimento das paredes e do piso, a nível das diferentes dependências, e na pintura do exterior do edifício.
A reabilitação faseada da estrutura física do Hospital Central do Dundo é uma necessidade imperiosa, considerou Gimi Nhunga, para proporcionar um ambiente “harmonioso de trabalho entre profissionais de saúde e pacientes”. O edifício do Hospital Central do Dundo existe há mais de 95 anos.
Em termos de recursos humanos, o hospital conta com mais de 22 médicos e de 150 enfermeiros, número insuficiente para atender os cerca de 80 pacientes que diariamente solicitam os serviços daquela unidade sanitária, segundo Gimi Nhunga.
 As doenças mais frequentes na província são as diarreicas, respiratórias agudas e malária, além de casos de traumatismo provocados por acidentes de viação.

Tempo

Multimédia