Províncias

Hospital de referência foi aberto no Cuango

Isidoro Samutulo | Cuango

O município do Cuango, na província da Lunda-Norte, conta, desde sábado, com  uma unidade sanitária moderna, com 100 camas para internamento.

Parte frontal do Hospital do Cuango inaugurado pelo governador da Lunda-Norte
Fotografia: Benjamim Cândido | Edições Novembro

A unidade sanitária conta com vários serviços, com destaque para o bloco operatório, salas de pré-parto, parto, pós-parto, farmácia, pediatria, central térmica, área administrativa e de serviços, de análises clínicas, de esterilização, de desinfectação, TAC e ECG, salas de tratamento, de exame e de higiene.
Com dois edifícios, sendo um técnico e outro administrativo, o hospital foi construído numa área de 2.000 metros quadrados pela empresa Sinomach, com obras avaliadas em cinco milhões de dólares.
O edifício técnico conta com áreas de bombagem e tratamento de água, um reservatório de água para incêndios com 200 metros cúbicos, um reservatório de água para o consumo, com 100 metros cúbicos, sala de exaustão de gases, área de gerador, sala de vácuo  e a sala de ar comprimido.
A unidade hospitalar conta também com uma morgue, área de conservação com três gavetas e uma área de preparação e lavagem de defuntos.
O governador provincial da Lunda-Norte, Ernesto Muangala, presente no acto inaugural, disse que a construção de hospitais municipais de qualidade e com capacidade para corresponder à densidade populacional é um dos objectivos do Governo, para melhorar a assistência médica e medicamentosa.
Ernesto Muangala explicou que o hospital municipal do Cuango é  uma unidade moderna que se pode  equiparar a um hospital provincial, em termos de serviços sanitários.
Ernesto Muangala, que pediu à população para cuidar bem do novo hospital, garantiu que o Governo vai continuar a trabalhar para minimizar a situação da falta de medicamentos que algumas unidades sanitárias enfrentam, em função da crise económica e financeira, de modo a garantir melhor assistência aos pacientes. Ernesto Muangala anunciou para breve a inauguração dos hospitais municipais do Capenda Camulemba e Lucapa e posteriormente o hospital provincial materno-infantil, no município do Chitato, no distrito urbano do Mussungue. O director municipal da Saúde,  Omar Katumba, disse que, numa primeira fase, o hospital vai funcionar com 25 técnicos e quatro médicos, números ainda insuficientes em função da capacidade do hospital, que necessita, no mínimo, de 60 enfermeiros. Omar Katumba garantiu que esforços estão a serem envidados para  aumentar o número de técnicos.
Segundo o director municipal do Cuango da Saúde, com a entrada em funcionamento da nova unidade sanitária, o município passa a contar com 11 unidades sanitárias.

Casos de malária

A malária causou no primeiro semestre do ano  51 óbitos,  número considerado baixo em relação aos anos anteriores, graças aos trabalhos de prevenção e  sensibilização  desenvolvidos, segundo o director municipal da Saúde.
Na mensagem de agradecimento, os habitantes congratularam-se com os esforços do Governo para a construção de um hospital municipal, com todas as valências. No passado, muitos doentes eram transferidos para hospitais da província de Malanje. Agora, o novo hospital põe fim a essa necessidade.
O regedor Kissueia pediu às autoridades maior fiscalização dos medicamentos que são postos à disposição das unidades sanitárias.
 "Não basta termos infra-estruturas modernas, precisamos também de medicamentos essenciais para salvar a vida dos pacientes. Precisamos de mudar de mentalidade, para que os medicamentos nos hospitais beneficiem os pacientes que procuram os serviços de saúde", sublinhou o regedor Kissueia.

Tempo

Multimédia