Províncias

Hospital materno infantil concluído no próximo ano

Armando Sapalo| Dundo

O Hospital provincial Materno-Infantil, em construção na cidade do Dundo, com capacidade para 150 camas, fica concluído em Julho do próximo ano, disse ao Jornal de Angola o director provincial da Saúde, Pedro José António.

Os trabalhos decorrem a um ritmo satisfatório em termos de execução física com o levantamento das primeiras estruturas do edifício central
Fotografia: Benjamin Cândido

O responsável prestou a informação durante uma visita de constatação à empreitada, efectuada pelo governador Ernesto Muangala, destinada a avaliar o grau de execução dos trabalhos a cargo da construtora “Sinomach”, no quadro da “Linha de Crédito da China.
A unidade sanitária de especialidade, que é construída no bairro Samacaca, na cidade do Dundo, é a primeira a ser erguida na região e vai desempenhar um papel relevante na redução da mortalidade materno-infantil.
Pedro José António disse que os trabalhos decorrem a um ritmo satisfatório em termos de execução física, com o levantamento das primeiras estruturaras do edifício central, vaticinando que, dentro de um ano, os habitantes da província vão, pela primeira vez, ganhar uma unidade sanitária vocacionada à assistência médica às crianças e mulheres.
O surgimento de um empreendimento sanitário especializado é de extrema importância, a julgar pelas gritantes dificuldades que ainda se verificam na garantia dos cuidados primários de saúde materno-infantil. “Pela primeira vez na nossa província vamos ter um hospital especializado para atender mulheres e crianças, tendo em conta que nos deparamos até hoje com sérias dificuldades em termos de cuidados de saúde materno-infantil”, reconheceu. Além de dispor de uma diversidade de serviços, com equipamentos modernos de diagnóstico, a unidade sanitária, cuja entrada em funcionamento se aguarda com muita expectativa, vai contar também com quadros qualificados. O novo hospital vai ainda prestar serviços indispensáveis a uma unidade hospitalar de referência, pois, segundo afirmou, “a intenção é dotar a província com uma medicina que reduza a elevada dependência e recurso a hospitais de outras regiões, particularmente de Luanda”. A contratação e formação permanente de técnicos do sector da Saúde, sobretudo jovens, no âmbito da promoção do emprego e o apetrechamento dos hospitais e centros de maior referência, com aparelhos de tecnologia de ponta, são as apostas do Governo Provincial da Lunda Norte para os próximos anos.

Residências para médicos


A infra-estrutura ocupa uma área de 30 mil metros quadrados. O arranque das obras possibilitou empregar, numa primeira fase, 40 jovens nacionais, formados nas escolas de artes e ofícios do Instituto Nacional de Formação Profissional do município do Chitato.
O director provincial da Saúde disse ao Jornal de Angola que a par da estrutura principal do hospital materno-infantil é construído um complexo residencial, com 20 suites, para albergar médicos que vão assegurar o funcionamento daquela unidade sanitária.
Por se tratar de um hospital com uma estrutura arquitectónica moderna, projecta-se no mesmo local a edificação de instalações para os serviços administrativos, parque de estacionamento, refeitórios, cozinha e zonas verdes.
As acções prioritárias estão voltadas à melhoria da qualidade de vida das populações e a província registou uma diminuição considerável de óbitos por mortalidade materno-infantil, em função das medidas realizadas pelos responsáveis do sector.

Tempo

Multimédia