Províncias

Infra-estruturas são a prioridade do Ministério do Ensino Superior

Isidoro Samutula| Dundo

O Ministério do Ensino Superior prevê este ano a construção de várias infra-estruturas na quarta região académica que compreende as províncias da Lunda-Norte, Lunda-Sul e Malange, anunciou, sexta-feira, no Dundo, o director do gabinete jurídico, Paulo de Azevedo.

O Ministério do Ensino Superior estabeleceu como meta a melhoria da qualidade de ensino e aumento de quadros de diferentes sectores
Fotografia: Jornal de Angola

O Ministério do Ensino Superior prevê este ano a construção de várias infra-estruturas na quarta região académica que compreende as províncias da Lunda-Norte, Lunda-Sul e Malange, anunciou, sexta-feira, no Dundo, o director do gabinete jurídico, Paulo de Azevedo.
O responsável explicou que para este ano lectivo, o programa de reabilitação e dotação de infra-estruturas do ensino superior contempla 10 projectos, com maior incidência na província da Lunda-Norte.
Segundo o director do gabinete jurídico, “no Programa de Investimentos Públicos, PIP de 2013, constam estudos para a construção na Lunda-Norte de escolas superiores politécnica, pedagógica, faculdades de direito e economia, bem como a reitoria da Universidade Lueji a Nkonde”.
Em Malange vão ser construídas as faculdades de agronomia, medicina veterinária, instituto politécnico, enquanto para Malange e Lunda-Sul está prevista uma escola pedagógica. Outras infra-estruturas serão erguidas ou reabilitadas nas cidades de Menongue, Bengo, Catumbela, Sumbe, Lubango e Huambo. O PIP de 2013 prevê, igualmente, a construção da academia de estudos avançados e formação pós-graduada.
Paulo de Azevedo recordou que o Ministério do Ensino Superior estabeleceu como meta a melhoria da qualidade, aumento de quadros docentes diferenciados, realização de cursos de mestrado, criação da rede integral de biblioteca digital e aquisição de bibliografias para todas as instituições, entre outras acções.
O Ministério dá, igualmente, relevância ao apoio à investigação científica, funcionamento das novas instituições de ensino superior que, apesar de formalmente criadas, ainda carecem de condições técnicas, pedagógicas e infra-estruturais, como é o caso do Instituto Superior de Educação Física e de Artes.
A inspecção e avaliação das instituições, o plano de acção de implementação das linhas mestras para a melhoria da gestão do subsistema do ensino superior, realização de actividades de carácter científico e a aquisição de laboratórios para todas as instituições fazem também parte das acções a serem desenvolvidas. Nesse capítulo, regista-se ainda um défice acentuado, levando muitos estudantes a terminarem a sua formação sem contacto com aulas práticas, segundo Paulo Azevedo.
Disse que a capacitação institucional será, também, reforçada com cursos de agregação pedagógica em todas as instituições, em paralelo com a formação de gestores dos subsistemas do ensino, técnicos para as instituições e a informatização de dados de todas as instituições do ensino superior.

Tempo

Multimédia