Províncias

Institutos profissionais com falta de professores

Victorino Matias | Dundo

O director provincial da Educação, Ciências e Tecnologia, Luís Kitamba, disse na quinta-feira que os institutos médios e de formação profissional da província da Lunda-Norte necessitam de mais professores para as disciplinas técnicas, para responder às necessidades dos mais de dois mil alunos matriculados no presente ano lectivo.

O director provincial da Educação, Ciências e Tecnologia, Luís Kitamba, disse na quinta-feira que os institutos médios e de formação profissional da província da Lunda-Norte necessitam de mais professores para as disciplinas técnicas, para responder às necessidades dos mais de dois mil alunos matriculados no presente ano lectivo.
Os institutos médios de Saúde (IMS), Politécnico 28 de Agosto e do II ciclo do ensino secundário (PUNIV) precisam de professores formados nas especialidades técnicas, para leccionarem as disciplinas nucleares nas referidas instituições escolares.
Luís Kitamba frisou que, para manter em funcionamento as três instituições académicas, a direcção da Educação teve de recrutar, em regime de contrato, quadros de outros sectores, como médicos, juristas, economistas, engenheiros e outros especialistas de diversas áreas do saber, para assegurar o ano lectivo em curso.
Além disso, lamentou o facto de não existir na província uma instituição académica de nível superior, para permitir a formação dos professores nas áreas de Engenharia, Medicina, Direito e Economia. 
“Não podemos colocar qualquer professor para dar aulas numa escola de formação média de saúde, no instituto médio politécnico ou no PUNIV”, afirmou, mostrando-se preocupado com a falta de pagamento de subsídios, desde Agosto do ano passado, aos colaboradores daquelas instituições.
A província da Lunda-Norte conta com sete instituições do ensino médio, das quais quatro de formação de professores (INME), nos municípios do Cambulo, Chitato, Cuango e Lucapa. As restantes, institutos médios, politécnico e PUNIV encontram-se na cidade do Dundo, capital da província. As aulas são ministradas por mais de 100 colaboradores.

Tempo

Multimédia