Províncias

Luachimo aguarda com esperança a chegada breve de dias melhores

João Silva | Luachimo

Os habitantes do Luachimo, município do Chitato, acreditam em melhores dias para breve, apesar das dificuldades causadas pelo mau estado das vias de comunicação, afirmou, ao Jornal de Angola, o administrador local.

O programa do governo provincial prevê a reabilitação e construção de escolas
Fotografia: Benjamim Cândido |

Os habitantes do Luachimo, município do Chitato, acreditam em melhores dias para breve, apesar das dificuldades causadas pelo mau estado das vias de comunicação, afirmou, ao Jornal de Angola, o administrador local.
Domingos Alberto referiu como prioridade, a reabilitação das vias secundárias e terciárias para a solução dos principais problemas das populações, quer para a sua circulação, como para escoamento de produtos agrícolas para centros de consumo.
“Mesmo com estas dificuldades, os moradores do Luachimo devem acreditar em melhores dias, pois quer a administração do Chitato, quer o governo da província da Lunda-Norte continuam a trabalhar para o desenvolvimento e bem-estar das populações em todos os domínios”, afirmou.
A falta de um orçamento local, disse, é uma das dificuldades da administração de Luachimom, que a impede de formar quadros na área de informática e de adquirir material de consumo corrente e equipamento para a sala de reuniões.
No quadro do programa integrado de combate à fome e à pobreza, declarou, estão curso no Luachimo estudos de projectos de impacto social.
Temos projectos de construção e reabilitação de escolas, postos médicos, chafarizes e poços de água nos bairros distantes da sede comunal e para a unificação das aldeias para facilitar a sua assistência.
A Comuna tem 155 salas, 130 das quais do ensino primário, seis escolas do primeiro ciclo e uma do II ciclo.
O administrador considera aquele número insuficiente, pois “para mais crianças entrarem no sistema normal de ensino são necessárias 15 escolas”.
A comuna, afirmou, tem 722 professores, mas são precisos mais 50 para cobrir as localidades de Calumbia, Caxalas I e II, Mucologe, Txamba, Chinguvo e Dieie.
Luachimo tem 146. 645 habitantes, 15 postos de saúde e um centro médico servido por 77 enfermeiros.
Também estes números não satisfazem o administrador, que advoga o recrutamento de mais cem enfermeiros, cinco médicos e de pessoal de apoio.
Quanto a energia e água, garantiu que a comuna está bem servida depois da inauguração do posto de captação de água para os bairros do Cassamba e dos chafarizes no 4 de Abril, Ritenda e Camatundo.

Tempo

Multimédia