Províncias

Lunda Norte expande a rede de assistência no meio rural

João Salvo | Dundo

O sector da Saúde na Lunda Norte está a levar a cabo um programa de organização e de reestruturação, com vista a aumentar a cobertura e qualidade sanitária, principalmente nas zonas suburbanas e rurais, informou ontem no Dundo o chefe de departamento provincial de Saúde Pública e Controlo de Endemias.

Reconhecidas grandes melhorias na assistência médica nos hospitais da província principalmente nas zonas suburbanas e rurais
Fotografia: Eduardo Pedro

Francisco Ernesto sublinhou que estão a ser construídas infra-estruturas capazes de assegurar o funcionamento do sistema de saúde pública nos diferentes bairros e aldeias. Ao mesmo tempo, decorre o processo de admissão de pessoal técnico e administrativo para as novas unidades sanitárias.
O sistema de saúde pública na Lunda Norte dispõe de 98 instituições sanitárias, sendo sete hospitais, 16 centros e 71 postos de saúde, além de quatro unidades materno-infantis.
As unidades sanitárias da província asseguram a assistência médica e medicamentosa a cerca de um milhão de habitantes.
O chefe de departamento provincial de Saúde Pública e Controlo de Endemias, Francisco Ernesto, frisou que sete hospitais estão equipados com serviços de raio x, laboratórios de análises clínicas e bancos de sangue. Os serviços de saúde são assegurados por 100 médicos angolanos e estrangeiros de diversas especialidades, 1.300 enfermeiros e 66 técnicos de diagnóstico e terapêutica. Em breve, recebe mais 30 médicos, contratados pelo Governo Provincial. Francisco Ernesto reconheceu a insuficiência de recursos humanos e admitiu a necessidade da contratação de 50 médicos de várias especialidades até ao final do ano, para garantir um serviço mais abrangente. Francisco Ernestro, sublinhou a necessidade de técnicos médios de farmácia e laboratório.
O chefe de departamento defendeu também a necessidade de melhores condições de trabalho e salários condignos, para atrair e manter recursos humanos de qualidade na província. Os serviços sanitários na Lunda Norte conheceram grandes melhorias este mês, com a introdução de um programa de assistência aos equipamentos de electromedicina. O chefe de departamento provincial de Saúde Pública e Controlo de Endemias, disse que técnicos cubanos passam a dar assistência ao equipamento hospitalar de ponta, garantindo o seu pleno funcionamento.
Francisco Ernesto reconheceu ter havido alguns problemas técnicos, mas garantiu que esforços estão a ser envidados, dentro do programa de assistência e de manutenção, para que os aparelhos possam funcionar em pleno.

Situação epidemiológica

Durante o ano passado e até aos primeiros dois meses de 2016, os serviços de Saúde da Lunda Norte trataram 90 mil doentes com malária, na maioria crianças dos zero aos cinco anos.
O chefe de departamento de Saúde Pública e Controlo de Endemias  sublinhou que os casos de malária resultaram em 266 óbitos hospitalares, que correspondem a 0,3 por cento dos casos registados em todo o país. 
As doenças respiratórias agudas, cardiovasculares, diarreia, pneumonia, tuberculose, hipertensão e as infecções de transmissão sexual são as principais patologias referenciadas pelo sistema de Saúde Pública na Lunda Norte, depois da malária.
Os doentes com tuberculose são tratados no Sanatório de Sacavula, no Dundo. Além disso, os serviços sanitários prestam tratamento ambulatório nos municípios do Chitato, Capenda Camulemba e Xá-Muteba.

Tempo

Multimédia