Províncias

Lunda Norte transformada em praça académica

Armando Sapalo | Dundo

A província da Lunda Norte é uma das regiões de Angola que até aos finais da década de 90 contava apenas com técnicos médios. Devido à ausência do ensino superior na província, muitos jovens que terminavam o curso médio sentiam-se obrigados a interromper a sua formação académica.

Com a Paz as autoridades abraçaram o desafio de promover projectos ligados ao ensino superior aumentando o número de quadros
Fotografia: WWW.JAIMAGENS.COM

Com o surgimento da Paz as autoridades locais abraçaram o desafio de promover projectos ligados à Educação, sobretudo no nível superior. Em 2004, a reitoria da Universidade Agostinho Neto decidiu criar a Escola Superior Pedagógica, com o objectivo de formar quadros para a reconstrução da província.
A inauguração da primeira instituição do ensino superior na Lunda Norte, pelo então primeiro-ministro do Governo de Angola, Fernando da Piedade Dias dos Santos, actualmente Presidente da Assembleia Nacional, é considerada pelas populações da província como o principal ganho da Paz na região.
O estudante universitário Cândido Danja Cainda recordou que, até ao ano de 2003, por causa da guerra que assolava o país, era quase impossível pensar no ensino superior na Lunda Norte. A frequentar o quinto ano do curso de Linguística Portuguesa na Escola Superior Pedagógica, Cândido diz que muitos jovens conseguiram empregos com salários condignos, após terminarem a formação universitária sem terem que sair da província. A Escola Superior Pedagógica revolucionou a dinâmica do crescimento da província, principalmente no reforço da qualidade de ensino não universitário.
Para o soba André Fortuna, o garimpo de diamantes por parte da juventude, foi uma das consequências da guerra, pois estava toda a gente aflita procurando alguma coisa para fazer, principalmente dinheiro para fugir com a família para locais mais seguros.
“No tempo colonial, havia mais diamantes em relação aos dias de hoje, mas ninguém garimpava, porque nunca foi nossa tradição”, contou.

Técnicos superiores


A Escola Superior Pedagógica da Lunda Norte trouxe inúmeros benefícios para a província, cujos quadros formados naquela instituição estão a contribuir para o progresso e desenvolvimento em todos os sectores.
Com a criação de regiões académicas, a Escola Superior Pedagógica deixou de pertencer à Universidade Agostinho Neto, passando para a Lueji A´Nkonde, com sede na cidade do Dundo.
O director-geral da Escola Superior Pedagógica, Augusto Chipombela, informou que desde a sua criação, em 2004, até os finais de 2010, a instituição formou 667 técnicos superiores.
Augusto Chipombela referiu que, graças à Paz, a província da Lunda Norte pode contar com muitos quadros no processo de reconstrução nacional. “Hoje a Lunda Norte é uma praça académica, que forma quadros em todos os níveis de ensino. E isso orgulha-nos”, disse Augusto Chipombela. 
“Dos primeiros estudantes que entraram em 2004, muitos estão a dar aulas aqui, porque conseguiram concluir mestrados e doutoramentos, tudo isso graças à Paz”, sustentou o director da Escola Superior Pedagógica da Lunda Norte.
No presente ano lectivo, informou o director-geral, a escola matriculou 2.200 estudantes. Em 2004, quando a instituição abriu as portas ao público, eram apenas 400.
Além de estudantes da Lunda Norte, a escola recebeu este ano  jovens de mais oito províncias, o que confirma a grande mobilidade que a paz tem vindo a proporcionar aos angolanos. A Escola Superior Pedagógica, especializada em Ciências de Educação, ministra oito cursos, entre os quais Linguísticas Portuguesa, Francesa e Inglesa, Química, Física, Matemática e Educação de Infância, que agrega o ensino especial e pré-escolar.
Além da Escola Superior Pedagógica, a província da Lunda Norte conta com três outras unidades orgânicas da Universidade Lueji A´Nkonde: as Faculdades de Direito e  de  Economia, no Dundo, e o Instituto Superior Politécnico, no município do Cuango.

Tempo

Multimédia