Províncias

Mais escolarização meta das mulheres

Isidoro Samutula| Dundo

As mulheres rurais da Lunda Norte pedem a expansão do programa de alfabetização e da concessão de crédito de campanha agrícola e também a reabilitação das estradas terciárias e secundárias.

Falta de postos de Registo Civil e de Identificação em alguns municípios e comunas continua a preocupar as mulheres da província
Fotografia: Victorino Matias | Dundo

Durante um encontro de auscultação no Dundo, as mulheres rurais solicitaram igualmente ao Governo Provincial a aquisição de meios de transporte para o escoamento de produtos do campo para a cidade, a distribuição gratuita de inputs agrícolas, a melhoria de mecanismos de distribuição e aquisição de terra.
A falta de postos de registo civil e de identificação em alguns municípios e comunas, a necessidade de formação e atribuição de instrumento às parteiras tradicionais, o reforço da assistência aos idosos e a construção de lares, assim como a falta de energia eléctrica e abastecimento de água potável nas zonas rurais são outras preocupações apresentadas.
O governador provincial, Ernesto Muangala, presidiu ao acto e disse que pela importância e peso que representa na produção agrícola, sua transformação e comercialização, tornando-se o principal sustentáculo das famílias nas comunidades, a mulher rural transformou-se num elemento activo na sociedade, com uma inquestionável contribuição no produto interno bruto.
Um grande número de agregados familiares no meio rural é do tipo monoparental é chefiado por mulheres que, além dos trabalhos de campo, tem ainda a responsabilidade de e­ducar os filhos, razão pela qual, o Presidente da República ter orientado o processo de auscultação e discussão dos problemas da mulher rural, cujas bases assentam no fortalecimento do diálogo.
Em função das preocupações apresentadas pela mulher rural, o governador garantiu que o Executivo vai continuar a reabilitar as vias de comunicação secundárias e terciárias para permitir a circulação de pessoas e mercadorias em todo o território da província, de modo a facilitar as trocas comerciais entre o campo e a cidade. A província tem vindo a alcançar resultados satisfatórios, no âmbito do Programa Municipal Integrado de Combate à Pobreza, disse o governador, acrescentando que houve melhoria das condições de vida da população, através do alargamento da rede sanitária e dos cuidados primários de saúde, no fornecimento de água potável às comunidades, no abastecimento de energia eléctrica e na inserção das crianças no sistema normal de ensino. "Vamos continuar a aumentar a oferta de água potável nos centros populacionais, no quadro do programa de reabilitação e expansão dos sistemas de abastecimento de água nas sedes municipais e no âmbito do programa água para todos", precisou.
Em relação ao sector da Educação, referiu que o Governo Provincial vai construir, nos próximos tempos, 700 salas de aulas numa perspectiva de 70 salas por município, que vai permitir a inserção de 31.500 crianças.O programa de alfabetização atendeu, no período de 2013 a 2014, mais de 11.371 pessoas, das quais 8.423 são mulheres do meio rural.
O Governo Provincial está a desenvolver trabalhos para que em breve as restantes sedes municipais possam contar com os postos de identificação civil, à semelhança dos municípios do Cuango, Caungula, Capenda-Camulemba e Chitato, de modo a evitar que a população percorra longas distâncias para o registo ou obterem o bilhete de identidade.
A secretária de Estado da Justiça e dos Direitos Humanos e coordenadora do grupo de a­companhamento no processo de auscultação à mulher rural na província da Lunda Norte, Maria Isabel Tormenta, considerou o processo de auscultação um digno reconhecimento do papel da mulher na família e na sociedade.
O encontro é uma oportunidade das mulheres da Lunda Norte poderem apresentar os principais problemas e necessidades, o que vai reforçar e facilitar a actuação do Executivo, na pers­pectiva de contribuir na busca de soluções sustentáveis para a melhoria gradual das condições de vida.
Maria Isabel Tormento disse que o país procura, agora, dar passos seguros para reverter a situação ainda prevalecente no meio rural, que enfrenta problemas com a emigração da população em direcção às cidades, escassez de mão-de-obra masculina em muitos casos e oportunidades de realização das jovens mulheres.

Tempo

Multimédia