Províncias

Melhora a qualidade de vida na região

Victorino Matias | Dundo

O aumento substancial de investimentos sociais a nível das sedes municipais e comunais, durante o ano de 2014, produz reflexos positivos na qualidade de vida das populações, disse, ao Jornal de Angola, a vice-governadora da Lunda Norte para o Sector Económico.

Às Administrações Municipais foi recomendada a adopção de políticas que estimulem o sector produtivo nas comunidades rurais
Fotografia: Benjamim Cândido|Dundo

Deolinda Satula Vilarinho qualificou de positivo o nível de execução dos diferentes programas que os nove municípios da província da Lunda Norte se propuseram realizar, durante o ano passado.
No encontro de balanço anual sobre os fundos financeiros alocados aos municípios para investimentos sociais, a vice-governadora da Lunda Norte para o Sector Económico disse que o programa municipal integrado de desenvolvimento rural e de combate à  pobreza  permite a implantação, nas diferentes localidades da província, de serviços de assistência médico-sanitária e de melhoria dos sistemas de produção e distribuição de água potável e a construção de escolas, infra-estruturas residenciais e administrativas e o apoio aos pequenos e médios agricultores da região.
 “As verbas cabimentadas às administrações municipais permitem executar, sem qualquer tipo de constrangimentos, programas de merenda escolar e aproximar os serviços essenciais da administração pública aos munícipes”, afirmou Deolinda Vilarinho, que ressaltou  a necessidade de as administrações municipais adoptarem políticas que visam estimular o sector produtivo rural, de forma a aumentar o rendimento  familiar e combater o analfabetismo. 
Chamou a atenção das administrações municipais para a necessidade de valorizar os recursos humanos, por meio de promoção de concursos públicos, para admitirem quadros com qualificação exigida para a administração local. 
O encontro recomendou o aumento das verbas destinadas à criação de infra-estruturas sociais e vias de comunicação, de modo a permitir a recuperação das estradas secundárias e terciárias, para permitir a circulação de pessoas e bens, que em alguns municípios e comunas ainda é deficiente.  
O porta-voz do encontro, Adérito Cativa, considerou ser necessário implementar mais acções no sector da agricultura, enquanto base de desenvolvimento do meio rural e instou os administradores municipais a dar maior celeridade na resolução dos problemas ligados aos atrasos salariais e melhorar a gestão do orçamento disponibilizado. O administrador municipal do Caungula, João Uarinhenga, disse que o programa de combata à pobreza reflecte a preocupação dos munícipes e asseguram o surgimento de vários equipamentos sociais, como escolas, postos médicos e edifícios administrativos, que têm proporcionado perspectivas de desenvolvimento e qualidade de vida da população. Destacou o fomento da actividade agropecuária, com a criação de gado bovino e caprino, e ressaltou a execução do programa merenda escolar, que abrangeu 3.476 crianças, em sete escolas localizadas na sede do município e na comuna do Camaxilo.
Já o administrador municipal do Lubalo, Tomás Muacabalo, disse que o programa prestou atenção à melhoria dos cuidados primários da saúde, com aquisição de medicamentos essenciais para combater várias patologias, com realce para a malária, doenças diarreicas e respiratórias agudas e doenças sexualmente transmissíveis. “A melhoria do sector de Saúde foi determinante para a redução da mortalidade materno-infantil e o alargamento da rede sanitária de proximidade.”
Foram adquiridos  equipamentos de Hemoterapia e de RX, ambulância para transporte de pacientes da sede do município para hospitais de referência na província, géneros alimentícios e o reforço da campanha nacional de vacinação, informou Tomás Muacabalo.
A construção de infra-estruturas sociais, como escolas primárias e secundárias nas localidades distantes da sede municipal, um campo polidesportivo e residências para os quadros foi anunciada pelo administrador municipal do Lubalo.

Tempo

Multimédia