Províncias

Melhorada estrada entre Dundo e a RDC

Armando Sapalo| Dundo

As autoridades da província da Lunda Norte estão a melhorar as condições de circulação rodoviária entre a cidade do Dundo e a de Tchissanda, na fronteira com a República Democrática do Congo.

Ernesto Muangala verificou o andamento das obras da estrada entre Dundo e Tchissanda
Fotografia: Benjamim Cândido

O director de obras públicas, Alteres Malenga, salientou que a melhoria da circulação entre as duas regiões vai facilitar o incremento das trocas comerciais, atrair novos investimentos, combater a fuga ao fisco e dinamizar o desenvolvimento sustentável.
Durante uma visita de campo efectuada pelo governador provincial, Ernesto Muangala, Alteres Malenga anunciou o início, no primeiro semestre deste ano, de obras de asfaltagem da estrada de 10 quilómetros, entre o Dundo e a fronteira. Tchissanda, do lado angolano, e Kamakó, na RDC, são importantes mercados fronteiriços, que permitem o intercâmbio comercial de bens essenciais para as populações das províncias da Lunda Norte e Cassai Ocidental.
Esta intervenção é financiada pela linha de crédito da China e para a sua execução, o Governo Provincial contratou a empresa Sinomach, que já deu início aos trabalhos preliminares de terraplanagem.
“Em termos de execução física, a obra encontra-se numa fase avançada, pois já foram terraplanados os 10 quilómetros de estrada, que deve ficar concluída este ano”, referiu Alteres Malenga, acrescentando que o relançamento das trocas comerciais entre a Lunda Norte e o Cassai Ocidental passa pela modernização da rede viária.  Para garantir uma melhor qualidade à estrada, foram já realizadas acções de desmatação e limpeza da camada de base, para a­nular os buracos encontrados ao longo da via. Neste momento, está a ser feita a compactação das áreas críticas, para permitir uma maior permeabilidade das águas pluviais, antes da colocação do cascalho.
Alteres Malenga afirmou estar agradado com a capacidade técnica do empreiteiro da obra, que instalou uma britadeira para a produção do material para a camada de base e de betão.
Destacou, também, o fomento da agricultura e pecuária, criação de infra-estruturas económicas, troca de experiências nos sectores de transporte, educação, cultura, desporto e criação de emprego como os principais sectores a serem beneficiados com a melhoria das estradas.
O governo da Lunda Norte prevê, ainda, o reforço das infra-estruturas no posto fronteiriço do Tchissanda para albergar os serviços essenciais que garantem o controlo das transacções comerciais e permitir maior arrecadação de receitas.
Está prevista a construção de uma agência bancária, edifícios para as alfândegas, Polícia de Guarda Fronteira e Serviço de Migração e Estrangeiros, além de um mercado e parque de estacionamento.

Tempo

Multimédia