Províncias

Melhores condições às mulheres do campo

Isidoro Samutula| Dundo

O vice-governador da Lunda-Norte para organização e serviços técnicos, Moisés Chingongo, garantiu no Dundo, que o Governo Provincial vai desenvolver, nos próximos dias, programas específicos para melhorar as condições básicas no meio rural.

Camponesas têm recebido vários apoios para aumentarem a produção no âmbito do programa de combate à fome e à pobreza
Fotografia: Pedro Miguel |Dundo

O vice-governador da Lunda-Norte para organização e serviços técnicos, Moisés Chingongo, garantiu no Dundo, que o Governo Provincial vai desenvovler, nos próximos dias, programas específicos para melhorar as condições básicas no meio rural, para que as camponesas possam ter espaço no processo de desenvolvimento socioeconómico da província.
Moisés Chingongo, que falava no fórum provincial da mulher rural, organizado pela Direcção provincial da Família e Promoção da Mulher, disse que o programa vai incidir na melhoria do sistema de saúde, no combate ao analfabetismo, à fome e à pobreza, na extensão da rede de fornecimento de água potável e energia eléctrica e no saneamento básico.
Moisés Chingongo disse igualmente que o governo local pretende estabelecer equilíbrio entre o meio rural e urbano, com a promoção das trocas comerciais, de forma a garantir estabilidade e segurança social às famílias camponesas.
Durante o fórum foram discutidos temas sobre género e associativismo, acesso aos serviços sociais básicos, recursos humanos, produção, comercialização e transformação de produtos agrícolas.
Os participantes defenderam a necessidade do Governo continuar a promover políticas específicas para as mulheres no meio rural, que permitam construir bases de um novo tipo de desenvolvimento, sem prejuízos dos valores culturais.
No fórum foi defendida também a necessidade da promoção da igualdade entre mulheres e homens em todos os domínios de actividade, sobretudo na formação profissional e sensibilização para políticas estratégicas em diversas temáticas.
A unificação dos bairros, segundos os participantes no fórum da mulher rural, deve ser efectivada com urgência, de forma a facilitar a execução do programa de melhoria dos serviços básicos, com realce para a construção de escolas, postos médicos, redes de água e saneamento básico nas zonas rurais.
Ao abordar a necessidade de aumentar a produção agrícola, o fórum recomendou a criação de associações e cooperativas, para que a produção agrícola familiar possa assentar no consumo da família e permitir a permuta, a fim de combater a fome e a pobreza. Face às necessidade das comunidades rurais, foi defendido o envolvimento das administrações municipais e comunais, igrejas e autoridades tradicionais na formação de activistas agrícolas e criação de políticas de aliciamento, para atrair os quadros formados no ramo da agricultura, às áreas rurais.
Participaram no fórum, membros do governo, administradores municipais e comunais, entidades religiosas, associações dos camponeses e cooperativas agrícolas, representantes municipais da Família e Promoção da Mulher e membros da sociedade civil.

Tempo

Multimédia