Províncias

Milhares de habitantes com mais água potável

Isidoro Samutula | Dundo

Mais de quatro mil habitantes das localidades de Calumbia, Canzololo e Candjamba, arredores da cidade do Dundo, no município do Chitato, província da Lunda-Norte, contam com mais água potável, no âmbito do programa de expansão da rede de captação e abastecimento às comunidades rurais.

População de zonas rurais de Chitato deixa de percorrer distâncias em busca de água potável
Fotografia: Benjamim Cândido | Edições Novembro | Dundo

Os referidos equipamentos sociais foram inaugurados pelo administrador municipal do Chitato, Alberto Muaquendi, que revelou que as obras custaram aos cofres do Estado 36 milhões de kwanzas e foram executados num período de três meses, pela empresa angolana Muconda Trading.
A empreiteira, acrescentou o administrador, garantiu que os projectos podem durar mais de 25 anos. Segundo Alberto Muquendi, a empresa construtora tem ainda a responsabilidade de garantir a manutenção dos três sistemas durante um ano, antes de passar para a responsabilidade da administração municipal, que deve dar continuidade à manutenção dos sistemas, de modo que a população possa contar sempre com o fornecimento de água potável.
A ideia de criar esses investimentos sociais, de acordo com o responsável, resulta de um conjunto de preocupações manifestadas pela população, durante o período de auscultação que a Administração Municipal do Chitato realizou a nível das diferentes comunidades, tendo a questão da água sido apontada como o principal problema, que devia ser imediatamente resolvido.
“A água é um bem essencial para a vida humana e a constatação que fizemos é que a população, principalmente as comunidades rurais, há muito reclamava pelo débil abastecimento”, disse Alberto Muquendi, que realçou a necessidade de dar-se continuidade ao programa de expansão da rede de captação e distribuição de água às comunidades rurais.
O administrador anunciou que, de acordo com a disponibilidade financeira, serão implementados, ainda este ano, projectos similares nas localidades do Txamba Mendes, Txamba Centro, Txinguvo e Caita, que também enfrentam dificuldades no abastecimento de água potável.
 Fez saber, por outro lado, que o processo para essas empreitadas está muito avançado e que os contratos já estão assinados, aguardando-se apenas o início dos trabalhos, ainda este mês.
Os três sistemas de abastecimento de água, implantados nas comunidades de Calumbia, Canzololo e Candjamba são consistentes e contemplam tanques de 78 metros de profundidade cada, com 35 metros de lençol freático, com um caudal aquífero de 43 metros no tempo seco e com tendência de aumentar na época chuvosa, declarou Alberto Muquendi.
O responsável destacou ainda a capacidade de bombagem de 2.5 metros cúbicos de água por hora e um sistema eléctrico alimentado por painéis solares, de 1.5 quilowatts.
Os reservatórios de água, esclareceu o administrador, têm capacidade para armazenar dez metros cúbicos. Cada comunidade contará também com dois chafarizes. 
Nas localidades do Calumbia e Candjamba, de acordo com o administrador municipal do Chitato, o sistema contempla também ligações domiciliárias e a infra-estruturas sociais, como centro médico e escolas.
O regedor Comboio enalteceu o esforço da Administração Municipal do Chitato, em garantir o fornecimento de água potável às comunidades e marcar uma nova etapa de convivência e bem-estar social.
“A situação da água está agora resolvida, esperamos pela resolução de outros problemas que as comunidades enfrentam”, disse o soba Comboio, que prometeu, em nome da população, cuidar do bem público, de modo que não falte água potável nas comunidades da região.

Tempo

Multimédia