Províncias

Ministro garante criação de mil empregos após a conclusão das obras de reabilitação

Armando Sapalo| Dundo

As obras de reabilitação da fazenda agropecuária do Cacanda, Província da Lunda-Norte, avaliadas em 29 milhões de dólares, terminam daqui há 19 meses.

Executivo trabalha com vista a combater o desemprego no seio da juventude
Fotografia: JA

As obras de reabilitação da fazenda agropecuária do Cacanda, Província da Lunda-Norte, avaliadas em 29 milhões de dólares, terminam daqui há 19 meses.
O projecto está a ser desenvolvido pela empresa Isrealita Agrarius Limited e contempla a reabilitação e modernização da fazenda Cacanda, para a criação de gado para corte, frangos para a produção de ovos e carne, hortícolas, com especial ênfase para a cultura de milho e soja.
O ministro da Agricultura, Pescas e Desenvolvimento Rural, Afonso Pedro Canga, que esteve no fim-de-semana na localidade, afirmou que, a partir do mês de Junho, a quinta começa a receber os primeiros pintos para a produção de galinhas.
Segundo o ministro, após a conclusão das obras, vai ser garantida a criação de mil empregos directos e três mil indirectos aos cidadãos locais. O surgimento de novos centros de negócios em termos de distribuição, processamento e comercialização dos produtos, consta do programa do Executivo, com vista à erradicação da fome e da pobreza no seio das populações.
O titular do pelouro garantiu formação profissional aos agricultores locais, de forma a desenvolverem projectos agrícolas auto-sustentáveis, que vão permitir a diversificação e crescimento da economia local.
O projecto, explicou o ministro, é uma parceria público-privada e está inserido nos programas do Executivo angolano destinados à recuperação das grandes fazendas do país.
A herdade, que está a ser desenvolvida numa área de 500 hectares, abrange a reabilitação das antigas infra-estruturas da Cacanda e a construção de novos edifícios, como fábrica de rações e matadouros.
Engloba ainda a construção de oficinas, áreas administrativas, residências para trabalhadores, posto de saúde e um centro de formação agrário.
Numa primeira fase, vão ser adquiridas 400 mil cabeças de gado para a produção de carne a ser integrada na rede comercial dos agricultores locais,
A fazenda possui 12 naves, uma das quais já totalmente reabilitada, com seis aviários, que vão albergar 25 mil galinhas, para além de uma outra onde vão ser colocados os nove mil pintos. Estão igualmente recuperadas as infra-estruturas ligadas à área reservada para a selecção e conservação de ovos, faltando apenas a instalação dos materiais técnicos de manutenção.
Na primeira fase, a Cacanda vai receber 400 mil cabeças de gado para a produção de carne a ser vendida à população, através da rede integrada dos agricultores e comerciantes locais.

Tempo

Multimédia