Províncias

Município apresenta lista de prioridades

Isidoro Samutula | Dundo

Os sectores da agro-pecuária, educação, saúde, energia e águas são prioridades dos próximos dois anos Administração Municipal de Caungula, refere um relatório analisado na terça-feira Governo Provincial da Lunda Norte.

Autoridades municipais de Caungulo apostam na qualidade de ensino com a expansão da rede escolar às comunas
Fotografia: Arimateia Baptista

O documento salienta “o aumento considerável” no município das associações de camponeses e cooperativas agrícolas e na importância que têm na diversificação dos produtos, bem como de bovinos e caprinos, cujo número ascende a 5.800.
A Administração Municipal de Caungula tem desenvolvido políticas de incentivo aos 117 criadores de gado, com a concessão de terrenos para pasto, assistência veterinária e “aquisição de meios técnicos essenciais à actividade”.
No município de Caungula, onde há 3.049 associações e oito cooperativas agropecuárias, foram produzidas no ano passado cerca de 900 toneladas de mandioca, 3.200 de milho e 4.325 toneladas de outros bens alimentares, especialmente legumes e frutas.
A Administração Municipal prevê que este ano seja revitalizada a produção do arroz, o aumento da pesca continental e aquacultura, bem comoda agricultura mecanizada, além da aquisição de máquinas para a desmatação e preparação de terras para os camponeses.
A aquisição de camiões para transporte da produtos agrícola e a aquisição de animais para o fomento da pecuária são também objectivos da Administração Municipal
O documento refere a construção até 2017 de 22 escolas do ensino primário e duas do primeiro ciclo em vários bairros da sede municipal e na comuna do Camaxilo. O município tem 28 escolas, seis das quais de construção definitiva, com um total de 138 salas de aulas.

Escola de formação

O relatório lembra que estão a ser construídos 12 postos de saúde, uma escola de formação de técnicos, casas para os trabalhadores do sector, um centro materno infantil e o depósito municipal de medicamentos. O município tem um centro e 19 postos de saúda, quatro deles a funcionar em instalações de construção definitiva.
O documento a que o Jornal de Angola teve acesso alerta para a falta de médicos e recorda que serviço clínico é assegurado por 48 enfermeiros.
As doenças mais frequentes no município são as diarreicas e respiratórias agudas, malária, febre tifóide, tuberculose e de transmissão sexual. O relatório garante que o fornecimento energia eléctrica vai melhorar, com a conclusão da montagem que está a ser feita um grupo gerador com capacidade de 700 kva.
A Administração Municipal prevê, no âmbito do programa de Água para Todos, a abertura este ano de furos nos bairros Xamajico, Cambaxi, Xamujinga, bem como na sede municipal e comunal.

Tempo

Multimédia