Províncias

Município do Cuílo na Lunda-Norte no caminho do desenvolvimento

Armando Sapalo | Cuílo

O município do Cuílo, na Lunda-Norte, passou a dispor de um centro de saúde, dois postos médicos, sede da administração municipal e um jardim que vai dar um novo visual à sede municipal.

O governador Ernesto Muangala inaugurou no Cuílo equipamentos sociais importantes
Fotografia: Benjamim Cândido

O município do Cuílo, na Lunda-Norte, passou a dispor de um centro de saúde, dois postos médicos, sede da administração municipal e um jardim que vai dar um novo visual à sede municipal.
Os empreendimentos, inaugurados pelo governador provincial, Ernesto Muangala, constituem, na óptica do administrador municipal, Pedro Blayr, o ponto de partida para o desenvolvimento do município e a esperança de uma vida melhor para os seus habitantes.
O centro médico, a primeira unidade sanitária a ser construída no município do Cuílo nos últimos 30 anos, tem capacidade de internamento para 16 doentes e foi apetrechado com aparelhos modernos, dispondo de serviço materno-infantil, banco de urgência, pediatria, medicina geral e saúde pública.
O centro conta com um tanque de água com capacidade para armazenar 10 mil litros de água e, nos próximos dias, vai ser adquirido um gerador para assegurar o fornecimento de energia eléctrica.
Pedro Blayr adiantou que as instalações sanitárias obedecem a critérios e políticas orientadas pelo Executivo, com vista à modernização dos serviços de saúde, de forma a conferir maior dignidade aos profissionais do sector e melhorar a qualidade do serviço prestado à população.  O sector da Saúde no município é assegurado por 10 técnicos, sendo nove enfermeiros e um trabalhador administrativo, aguardando-se um reforço de 10 enfermeiros e um médico pediatra, tendo em conta o elevado índice de mortalidade infantil na região.


Avanços na educação


A administração municipal do Cuílo construiu, neste ano económico, quatro novas escolas que foram inauguradas durante as comemorações dos 36 anos da Independência Nacional.
A sede municipal beneficiou de uma escola de oito salas, para alunos do primeiro ciclo do ensino primário, enquanto duas outras, com três salas cada, foram construídas na comuna de Caluango, e uma outra, também de três salas, no bairro Camba Nguiza.
A abertura destes estabelecimentos de ensino vai permitir às crianças desfrutarem de melhores condições de ensino e aprendizagem, deixando para trás “as carteiras de lata e de pau a pique”.
Com estas novas escolas, o município passa a ter 12 escolas, cinco das quais de carácter definitivo, totalizando 21 salas. No presente ano lectivo, ficaram de fora duas mil crianças, tendo sido matriculados 8.795 alunos.
 O ensino é assegurado por 146 professores, número insuficiente, segundo Pedro Blayer, tendo em conta a elevada procura.
Nos cursos de alfabetização, foram matriculados 875 adultos.
O fornecimento de energia eléctrica é garantido, na sede do município do Cuílo, por um grupo de geradores de 150 KVA que, nos próximos dias, vai ser reforçado com outro de 200 KVA. 
As autoridades locais estão a envidar esforços para que as restantes localidades que compõem o município também possam ter energia eléctrica, numa primeira fase com iluminação pública, com vista a reduzir o índice de criminalidade. Quanto ao abastecimento de água potável, o administrador Pedro Blayr disse que a população local continua a consumir água dos rios, porque no município ainda não foi construído um sistema de captação de água. No entanto, no quadro do Programa Água para todos, está projectada a construção de uma captação, aguardando apenas que a Direcção Provincial de tutela indique a empresa que vai executar o projecto.

Tempo

Multimédia