Províncias

Novo hospital em Capenda Camulemba

Armando Sapalo | Capenda Camulemba

O novo Hospital Municipal de Capenda Camulemba, na província da Lunda Norte, com capacidade para internar 40 pacientes, fica concluído em Junho do próximo ano, disse ao Jornal de Angola o responsável da Saúde.

As obras do novo Hospital Municipal de Capenda Camulemba decorrem a bom ritmo e ficam concluídas em Junho próximo
Fotografia: Benjamin Cândido

Estêvão Joaquim mostrou-se optimista em relação aos passos que as autoridades da Lunda Norte estão a dar para melhorar os serviços sanitários nas regiões do interior, visando evitar que as populações percorram longas distâncias à procura de assistência médica.  
O sector a nível do município de Capenda Camulemba está ainda longe do desejado, uma vez que as populações continuam a enfrentar muitas dificuldades para terem acesso aos cuidados primários de saúde.
O Hospital Municipal vai ter quadros especializados e equipamentos modernos de diagnóstico, para evitar as constantes evacuações de pacientes em estado grave para dependências sanitárias de outras províncias, sobretudo Malanje e Lunda Sul.
O edifício central do futuro hospital municipal tem quatro blocos, que vão albergar diferentes serviços hospitalares, como pediatria, atendimento permanente, área de partos, de internamento, enfermarias, Raio-X, farmácia e zona de tratamentos especiais.
 No município de Capenda Camulemba, cerca de 600 quilómetros a sul da capital da Lunda Norte, existem 11 unidades sanitárias, das quais três centros e oito postos de saúde, assegurados por apenas 17 enfermeiros e um médico.
Numa primeira fase, são necessários mais de 80 enfermeiros e oito médicos de distintas especialidades, para fazer face à situação sanitária do município, que precisa de médicos especializados em obstetrícia, ortopedia, cirurgia e pediatria.  A solicitação de técnicos consta do plano de necessidades remetido pela Direcção Municipal da Saúde ao Governo Provincial da Lunda Norte, no âmbito do programa municipal de expansão dos serviços de saúde até 2017.
No quadro do concurso público para o provimento de vagas no sector da Saúde, Estêvão Joaquim informou que o município foi contemplado com 80 lugares, destinados a técnicos médios de enfermagem e auxiliares, além de uma vaga para médico. Nenhum técnico se candidatou à vaga de médico, mas neste momento as autoridades aguardam com expectativa a divulgação dos resultados do concurso público, pois vai ajudar a reduzir a carência de enfermeiros.
A Administração Municipal e a Direcção Provincial da Saúde asseguram a aquisição regular de fármacos, para fazer face às principais endemias na região.

 

Tempo

Multimédia