Províncias

Número de partos aumenta na maternidade do Dundo

Isidoro Samutulo| Dundo

A maternidade Central do Dundo, na província da Lunda-Norte, registou 2.411 partos de Janeiro a Agosto deste ano, dos quais 2.371 nados vivos e 40 mortos, revelou, ontem, a chefe de Secção da Maternidade, Graciana Herculano Chizeca Moisés.

Mulheres devem marcar presença assídua nas consultas pré-natal para garantir que a gravidez e parto ocorram em condições normais
Fotografia: Marcelo Manuel

A maternidade Central do Dundo, na província da Lunda-Norte, registou 2.411 partos de Janeiro a Agosto deste ano, dos quais 2.371 nados vivos e 40 mortos, revelou, ontem, a chefe de Secção da Maternidade, Graciana Herculano Chizeca Moisés.
A responsável disse que se registou um aumento de 2.039 partos em relação ao ano passado. “Noventa e oito mulheres foram submetidas a cesariana, na sua maioria com idade superior a 35 anos”, revelou.
Nesse mesmo período, duas senhoras morreram por anemia e gravidez utópica, como consequência da falta de consultas pré-natais regulares, de forma a prevenir doenças contraídas durante o estado de gestação. A maternidade Central do Dundo tem capacidade para 45 camas, sendo 10 na área pós parto e 35 na ginecologia.
Diariamente registam-se 12 a 13 partos, número superior à capacidade das camas, o que leva as mulheres a receberem alta 12 horas após o parto, caso não apresentem nenhuma anomalia, conforme palavras de Graciana Moisés.
Graciana Chizeca Moisés referiu, ainda, que “a maternidade regista fraca adesão das grávidas às consultas pré-natal, durante o estado de gestação, o que provoca abortos e mortes pós parto”.
A chefe de secção da maternidade acrescentou que muitas mulheres insistem em fazer partos sem a devida assistência médica e medicamentosa.
Para se evitar esta prática, Graciana Chizeca explicou que “as autoridades sanitárias locais têm levado a cabo várias acções de sensibilização e de educação materno-infantil no seio das comunidades, para que todas as mulheres em estado de gestação façam as consultas pré-natal e realizem os partos na maternidade central ou nos centros e postos de saúde localizados na periferia da cidade”.
A maternidade do hospital central do Dundo conta com 22 parteiras e três médicos, sendo uma angolana e dois estrangeiros.

Tempo

Multimédia