Províncias

Obras na barragem começam em Dezembro

Armando Sapalo|Cambulo

As obras de reabilitação da barragem hidroeléctrica do Luachimo, no Dundo, Lunda Norte, começam em Dezembro, com ampliação e reforço da capacidade de produção da central, de 8.4, para 32 MW, anunciou sexta-feira na vila mineira do Nzagi, o director provincial da Energia e Águas, André Camilo.

Os equipamentos da central do Luachimo funcionam há mais de cinco décadas e apresentam avançado estado de degradação
Fotografia: Benjamin Cândido

Num encontro com o governador Ernesto Muangala e o responsável da empresa Chinesa CGGC, Jian Ping Shang, que serviu para apresentação formal do projecto de recuperação da hidroeléctrica do Luachimo, André Camilo informou que a empreitada, com duração 36 meses, entra em funcionamento a partir de 2017.
O Ministério da Energia e Águas contratou a empresa Chinesa CGGC, especializada em projectos de energia eléctrica sustentável, por ser responsável pela construção da maior barragem do mundo, localizada na China, conhecida por “Hidroeléctrica de três Gargantas”.
André Camilo disse que se trata de uma obra de carácter profundo, uma vez que, além da mudança de equipamento hidromecânico, vai igualmente ser construída uma nova e moderna central hidroeléctrica.
Depois de concluído, o projecto vai reforçar a capacidade de produção da central  hidroeléctrica do Luachimo, de modo a estender a rede de distribuição até aos municípios do Cambulo e Lucapa, passando também pelas antigas vilas mineiras do Fucauma, Cassanguidi, Luxilo, Nzagi, Lucapa e Calonda. Para transportar energia eléctrica para essas localidades, a empresa chinesa CGGC vai igualmente reabilitar e modernizar a linha de transporte de alta tensão de 60 quilovolts, numa extensão de mais de 228 quilómetros e as respectivas subestações, destruídas durante o conflito armado.
Para a interligação das redes prevê-se também a reabilitação das linhas de baixa e média tensão, incluindo a iluminação pública dos principais aglomerados urbanos dos municípios do Cambulo e Lucapa.  Os equipamentos da central hidroeléctrica do Luachimo apresentam avançado estado de degradação, pois funcionam desde 1957. “A central produz apenas metade da sua capacidade instalada, o que não é suficiente para responder às reais necessidades da população e outros serviços, devido ao aumento do número da população, principalmente nas zonas urbanas", notou.

 Modernização da central

O responsável da empresa chinesa CGGC, Jian Ping Shang, disse que a reabilitação da central eléctrica do Luachimo consubstancia-se no incremento da capacidade de produção, através da substituição das antigas turbinas por novas, modernização das salas de controlo, com a instalação de equipamentos de alta definição tecnológica e recuperação profunda da estrutura física.
O estudo permite a requalificação da barragem do Luachimo, mas sublinhou que se deve adequar os metros de altura e comprimento das áreas hidroeléctricas e a albufeira, no sentido de garantir uma maior segurança da água retida pela barragem.
Neste momento está a instalar-se no Dundo os equipamentos que vão permitir desenvolver os trabalhos preliminares e estabelecer as bases para que até Dezembro comecem as obras. As obras terminam dentro de três anos e neste momento trabalha-se nos aspectos preliminares, com a mobilização de meios. Pela dimensão obra vão ser necessários cerca de 400 trabalhadores angolanos em diferentes áreas técnicas especializadas e pessoal de apoio, além de 150 técnicos expatriados.
“Vamos ter que recrutar muita mão de obra angolana e estrangeira para o êxito do projecto. Ao contrário será muito difícil concluir a obra nos prazos estabelecidos”, disse o responsável  da CGGC
 
Importãncia do projecto

O ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, por ocasião da inauguração da central térmica e das linhas de baixa e média tensão na cidade do Dundo, no mês de Março, reconheceu que a reabilitação e ampliação da barragem hidroeléctrica do Luachimo reveste-se de grande importância, porque marca o ponto de partida para o reforço da capacidade de produção de energia eléctrica na província.
João Baptista Borges destacou igualmente a importância da hidroeléctrica do Luachimo no contexto do desenvolvimento económico, produtivo e social da Lunda Norte e na melhoria substancial das condições de vida da população. Durante o período em que a central hidroeléctrica do Luachimo estiver a receber obras profundas, a cidade do Dundo e arredores são abastecidos por uma central térmica que produz actualmente 30 Mega watts.

Tempo

Multimédia