Províncias

Painéis solares na Lunda Norte

Armando Sapalo | Dundo

O governador da Lunda Norte, Ernesto Muangala, anunciou que está em curso o programa de instalação do sistema de energia fotovoltáico, assegurado por painéis solares, nos grandes centros urbanos da província, no quadro da execução de programas destinados a garantir o desenvolvimento sustentável da região.

Governador da província da Lunda Norte Ernesto Muangala
Fotografia: Benjamim Cândido | Dundo

O governador Ernesto Muangala declarou que os investimentos em fontes de energia alternativa se destinam a melhorar a qualidade de vida das populações.
Neste momento, estão a ser colocados postos de iluminação pública e semáforos em algumas artérias da cidade do Dundo, o que, de acordo com os recursos financeiros disponíveis, vai, numa primeira fase, ser extensivo ao município do Lucapa e depois a mais três circunscrições da província.
Para a concretização dos projectos, o Governo Provincial contratou a empresa chinesa Kingliht, especializada na gestão e fabrico de equipamentos de energia solar. Além de postes de iluminação pública, vão ser instalados sistemas fotovoltáicos para o fornecimento de energia eléctrica às escolas, centros de saúde e unidades policiais a nível dos municípios.
O fornecimento de energia eléctrica, particularmente à cidade do Dundo, foi reforçado com a entrada em funcionamento, em Março, da nova central térmica de 30 MW.
O governador anunciou, para breve, o arranque das obras de reabilitação e aumento da capacidade de produção da central hidroeléctrica do Luachimo, de 8.4 para 32 MW, uma obra que vai ser executada em 36 meses.
“A central hidroeléctrica do Luachimo vai brevemente entrar em obras de reabilitação e ampliação, uma vez que já tem o contrato assinado e homologado, o que vai reforçar o nosso sistema de produção de energia numa escala considerável”, assegurou. A aposta na energia solar é também uma boa opção para a província, acrescentou.

Iluminação pública

A responsável da empresa chinesa Kingliht, contratada para a instalação do sistema de energia solar na Lunda Norte, disse ao Jornal de Angola que esta é uma excelente escolha, na busca de alternativas menos agressivas para o meio ambiente, visto tratar-se de uma fonte renovável e limpa, a­lém de ser menos dispendiosa em termos de recursos materiais, humanos e financeiros.
Vi Vian garantiu que já foram colocados 220 postos de iluminação pública no Dundo, assegurados por painéis solares, o que permitiu dar emprego a 20 jovens formados na área de electricidade, nos centros locais de artes e ofícios afectos ao Instituto Nacional de Formação Profissional.  Foram colocados postos de iluminação pública nos troços entre a rotunda do Bairro-Norte até à vila do Chitato, num percurso de cinco quilómetros, e da rotunda do aeroporto do Camaquenzo até à zona do terminal de passageiros.
Os trabalhos estendem-se aos municípios do Lucapa, Cambulo, Cuango e Capenda Camulemba, com a instalação de 200 postos de iluminação pública em cada uma destas localidades.
O contrato da obra, sublinhou, tem a ver também com a colocação de semáforos testados com tecnologia de energia solar, que permitem regular o tráfego rodoviário.  Em termos de vida útil, a electricidade fornecida pela componente solar tem uma duração de 20 anos, com garantia de manutenção da empresa, que estabelece também o processo de formação de técnicos nacionais, sobre a utilização e métodos de reparação de eventuais falhas registadas no funcionamento do sistema.
Vi Vian informou que a energia de radiação solar é convertida em energia eléctrica sem quaisquer prejuízos ambientais, através de uma tecnologia avançada que regula automaticamente a iluminação e pode, continuamente, funcionar em vários dias de chuva.
Garantiu, ainda, segurança máxima nos postes de iluminação pública, pois, conforme explicou, funcionam com tensão baixa de 12 a 24 Volts, não havendo riscos de descarga eléctrica. A instalação é fixa e com alta resistência ao vento.

Tempo

Multimédia