Províncias

Projectos sociais melhoram a vida

Joaquim Aguia|Dundo

A vida dos habitantes da vila do Nzagi, município do Cambulo, Lunda-Norte, melhorou muito com o surgimento de novos equipamentos sociais que vão dar resposta às necessidades básicas dos munícipes. Um hospital municipal e o sistema de iluminação pública e domiciliária estão à disposição da população.

Ângulo do Hospital municipal Dr. Edurado Nelumba recentemente inaugurado pela ministra da Comunicação Social Carolina Cerqueira
Fotografia: Benjamim Cândido

A vida dos habitantes da vila do Nzagi, município do Cambulo, Lunda-Norte, melhorou muito com o surgimento de novos equipamentos sociais que vão dar resposta às necessidades básicas dos munícipes. Um hospital municipal e o sistema de iluminação pública e domiciliária estão à disposição da população.
 “Temos hoje um hospital em condições, para realizar operações cirúrgicas e outros actos médicos, com salas para internamento e de parto” disse o soba Bonifácio Capungo. Antes da abertura do hospital os doentes tinham de se deslocarão Dundo.
Bonifácio Capungo disse que o Governo Provincial deve melhorar as condições salariais dos enfermeiros e outros técnicos da saúde, para que possam prestar serviço de qualidade.
O soba António Alberto Santos enalteceu os investimentos feitos nos sectores vitais, como é o da saúde: “a voz do povo foi ouvida e esperamos que o Hospital Municipal Dr. Eduardo Nelumba garanta à população um serviço de saúde com qualidade e que sejam, também, enquadrados médicos e enfermeiros com experiência reconhecida”.
Uma das grandes preocupações do soba António Alberto Santos tem a ver com o abastecimento dos medicamentos. Pediu à Administração Municipal e à direcção do hospital “rigor, responsabilidade e transparência na gestão dos medicamentos”O Hospital Municipal de Cambulo custou aos cofres do estado mais de 160 milhões de kuanzas e tem 100 camas, das quais 84 para adultos e 16 para crianças. A unidade sanitária prestar serviços de clínica geral, cirurgia, pediatria, estomatologia, maternidade, testagem de HIV/Sida e vacinação.
Numa primeira fase, o hospital vai funcionar com três médicos, sendo dois de clínica geral e um cirurgião. Para preencher o quadro de pessoal, a unidade sanitária necessita de mais sete médicos de diferentes especialidades, técnicos, enfermeiros e administrativos.
Para assegurar o funcionamento da unidade sanitária, foi instalado um gerador com a capacidade de 230 KVA e um tanque com a capacidade para 1.000 litros de água. Foram construídas sete casas no perímetro do hospital, para albergar os médicos.
O governador provincial, Ernesto Muangala, afirmou estar “imensamente feliz” com a inauguração do Hospital Municipal Dr. José Eduardo Nelumba “porque a população deixa de ser assistida no velho hospital, construído pela DIAMANG, no inicio do século XX.

Amor às populações

O governante sublinhou que “o carinho, o amor às populações e o seu modesto exemplo, levaram a população e o Governo Provincial da Lunda-Norte, a renderem esta singela homenagem ao Dr.
Eduardo Nelumba, atribuindo o seu nome ao Hospital Municipal do Cambulo. “ É para nós motivo de satisfação, enfim é uma alegria”.
A ministra da comunicação social, Carolina Cerqueira, viúva do Dr. Eduardo Nelumba, disse no acto da inauguração, que é muito importante reflectir sobre a figura e a obra do patrono do novo hospital, “que dedicou toda a sua vida na defesa da vida humana”.
Em nome da família, agradeceu a iniciativa do Governo Provincial da Lunda-Norte pela homenagem e pediu à direcção do hospital rigor e responsabilidade na tarefa de cuidar da vida humana.

Luz eléctrica

A sede municipal de Cambulo ganhou igualmente um sistema de iluminação pública que vai proporcionar às populações melhores condições de vida, redução de índices da delinquência e o retorno às actividades recreativas da juventude, sobretudo no período nocturno.
O director de Energia e Águas, André Camilo, salientou os esforços do Governo Provincial, virados para a procura permanente de soluções que garantam a melhoria das condições sociais básicas das populações.
André Camilo disse que apesar da reposição do sistema de fornecimento de energia eléctrica à vila do Nzagi, há ainda algumas dificuldades ligadas sobretudo ao abastecimento de combustível.
Garantiu que o programa de abastecimento de energia eléctrica às populações vai ser estendido às restantes sedes municipais e comunais.
Técnicos do sector, apontam a necessidade de continuar a garantir a manutenção e ajustamentos técnicos da rede distribuição eléctrica da vila do Nzagi, para se adequar ao crescimento populacional e a aquisição de novos sistemas de produção eléctrica, com maior capacidade.
O actual o sistema vai funcionar, numa primeira fase, no período nocturno, com o horário compreendido entre às 17h00 e as seis horas da manhã. A poulação está feliz pelo o empenho do governo.

Tempo

Multimédia