Províncias

Reabilitação acontece em breve

Armando Sapalo | Dundo

O director provincial de Energia e Águas da Lunda-Norte, André Camilo, assegurou ao Jornal de Angola que o fornecimento de energia eléctrica à cidade do Dundo e aos municípios de Cambulo e Lucapa vai melhorar com a reabilitação e aumento da capacidade da central hidroeléctrica do Luachimo, de 8.4 Megawatts para 25 Megawatts.

A reabilitação e modernização da central hidroeléctrica do Luachimo vai permitir triplicar a sua capacidade inicial instalada e melhorar o abastecimento de energia às zonas urbanas e parte do parque industrial da província

O director provincial de Energia e Águas da Lunda-Norte, André Camilo, assegurou ao Jornal de Angola que o fornecimento de energia eléctrica à cidade do Dundo e aos municípios de Cambulo e Lucapa vai melhorar com a reabilitação e aumento da capacidade da central hidroeléctrica do Luachimo, de 8.4 Megawatts para 25 Megawatts.
Segundo André Camilo, os equipamentos da central hidroeléctrica do Luachimo apresentam actualmente um avançado estado de degradação, tendo em conta que funcionam desde 17 de Setembro de 1957.
Face a esta situação, o responsável disse que a central produz apenas metade da sua capacidade instalada, o que não é suficiente para responder às reais necessidades da população e outros serviços, em termos de consumo de energia eléctrica.
Lamentou, no entanto, a destruição, durante o período de guerra, das infra-estruturas da central hidroeléctrica do Luachimo, com realce para a linha de transporte de alta tensão com mais de 220 quilómetros, que passa pelos municípios do Cambulo, Lucapa e vila de Calonda e respectivas subestações.
Explicou que os primeiros estudos de viabilidade para a reabilitação e modernização da Central Hidroeléctrica do Luachimo começaram a ser realizados em 2011, altura em que a infra-estrutura passou para a tutela da Empresa Nacional de Electricidade (ENE).
A reabilitação do empreendimento, de acordo com André Camilo, vai circunscrever-se no aumento da capacidade de produção, com a substituição das antigas turbinas por novas, a modernização das salas de controlo, através da instalação de equipamentos de alta definição tecnológica e a recuperação da estrutura física interna”.
Destacou a importância da central hidroeléctrica do Luachimo no contexto do desenvolvimento económico, social e produtivo da província da Lunda-Norte, e os esforços do executivo na mobilização de recursos financeiros, técnicos e humanos, para a médio prazo garantir energia eléctrica às populações e aos diferentes sectores da economia. “Nós temos simplesmente uma central hídrica que devido a sua antiguidade, a capacidade de produção desceu de 8.4 para 4.2 há cerca de dez anos, por isso estamos confiantes que ela vai ser recuperada, para o bem das populações e do desenvolvimento económico da região”, sustentou.

Necessidade de investimentos
 
André Camilo sublinhou a necessidade de haver mais investimentos no sector, por forma a resolver gradualmente a escassez de energia eléctrica, sobretudo nas sedes municipais e comunais.
Admitiu, contudo, haver várias iniciativas locais, no quadro dos Programas Municipais Integrados de Desenvolvimento Rural e Redução da Pobreza, que têm dado solução imediata em termos de abastecimento de energia eléctrica nas diferentes circunscrições administrativas, com a aquisição e instalação de grupos geradores.
Mas a aposta das autoridades locais, segundo André Camilo, é a instalação de centrais térmicas, em todas as sedes municipais e comunais, como forma de aumentar a capacidade de produção de energia eléctrica e assegurar um serviço com qualidade e eficiência às populações.
O responsável revelou que a actual capacidade de produção instalada na província é de 14 MW, estando apenas disponíveis 9 MW, abrangendo deste modo 40 mil consumidores, dos quais 30 mil da área urbana e 10 mil outros da zona suburbana.
André Camilo admitiu que os níveis de produção de energia eléctrica disponíveis são insuficientes para dar cobertura satisfatória a região, cuja população é estimada em cerca de um milhão de habitantes, além dos potenciais consumidores como a indústria mineira, o comércio geral, hotelaria e turismo, agro-pecuária, saúde, educação, cultura e similares.
André Camilo defendeu, por isso, que “o governo deve investir mais no sector da energia de forma a alcançar as metas de desenvolvimento sustentável e proporcionar dignidade e melhores condições de vida às suas populações”.
A actual taxa de cobertura, revelou, corresponde apenas a 40 por cento e atendendo ao crescimento demográfico desde que o país alcançou a paz - o que levou ao aumento da demanda e ao surgimento de novos serviços -, a província, estimou, necessita “de pelo menos 114 a 125 MW de energia eléctrica”. “A nossa actual capacidade de produção não chega para responder às necessidades da sociedade, cujo número da população e outros serviços têm vindo a registar grandes índices de crescimento. Deste modo, para o desenvolvimento que a província pretende, tem de se prestar também alguma atenção à energia eléctrica”, disse. Sublinhou que as redes autónomas de energia eléctrica das administrações municipais, com realce para o interior da província, são asseguradas pelos grupos geradores e não permitem efectuar ligações domiciliárias para os habitantes de uma determinada circunscrição, priorizando apenas a iluminação pública.
Sublinhou que o projecto de instalação das redes de iluminação pública trouxe grandes benefícios aos municípios e comunas da província, pois têm estado a contribuir consideravelmente para a redução dos índices de criminalidade nas zonas de maior concentração populacional.
“As redes de iluminação pública, que com muito esforço a gente coloca nas zonas urbanas e periféricas, nas sedes municipais e comunais, contribuem bastante para melhorar o trabalho da Polícia, particularmente para a redução dos crimes nessas zonas. É, por isso, um trabalho que deve ser enaltecido”, afirmou.

Construção de novas mini-hídricas

André Camilo adiantou que para o reforço da capacidade de produção, visando uma qualidade aceitável na distribuição de energia eléctrica aos municípios da província da Lunda-Norte, em acções concertadas com o Ministério da Energia e Águas, estão gizados projectos de médio e longo prazo para a construção de duas mini-hídricas.
Os empreendimentos, segundo André Camilo, vão ser erguidos nos municípios de Xá-Muteba e Cuango, aproveitando as quedas da região do Vuca, no rio Cuango, além da construção de linhas de transporte de alta tensão para as mesmas localidades a partir da Hidroeléctrica de Capanda, ao longo da via Caculama/Malange.
Disse igualmente que a mesma linha de alta tensão vai estender-se também até ao município de Capenda-Camulemba, que enfrenta grandes dificuldades no fornecimento de energia eléctrica às suas populações.
Ressaltou, por outro lado, o projecto Hidro-Luapasso, a ser implementado no município do Lucapa, que compreende a construção de três centrais, nomeadamente o Camenga, Luapasso e Samuela, para produzir um total de 81 MW de energia.
Esse projecto, recordou, foi aprovado há cerca de seis anos pelo Conselho de Ministros. Está à espera pela mobilização de financiamento, para que possa arrancar.

Estatística da província

 

Redes Eléctricas operacionais 19

Capacidade instalada
29.865 KVA

Capacidade disponível
18.455 KVA

Consumidores
400.000 Habitantes

Central Termica provisória
da cidade do Dundo
4.000 KVA

Comuna do Lovua
Gerador de 60 KVA

Camubulo
Sede municipal grupos de geradores (2.525 KVA)

Comuna de Canzar
Gerador
(100 KVA)

Lucapa
Sede municipal grupo de geradores
(810 KVA )

Vila de Colanda
Grupo de gerador por instalar (810 KVA)

Comuna de Xá-Cassau
Gerador ( 35 KVA)

Comuna de Capaia
Gerador (36 KVA)

Capenda-Camulemba
Sede municipal gerador (350 KVA)

Comuna de Xinge
Gerador (75 KVA)

Cuango
Sede municipal grupo de gerador (1.000 KVA)
Vila de Luzamba Gerador ( 3.650 KVA)

Vila de Cafunfu
Gerador ( 1.50 KVA)

Comuna de Luremo
Gerador( 410 KVA)

Xá-Muteba
Sede municipal Gerador ( 410 KVA)

Lubalo
Sede municipal gerador ( 500 KVA)

Comuna de Luangue
Gerador ( 150 KVA)

Caungula Sede municipal
grupo de gerador
(450 e 165 KVA)

Comuna de Camaxilo
Gerador ( 165 KVA)

Cuílo
Sede municipal grupo (150 KVA)

Comuna de Caluango
Gerador
( 95 KVA)


Projecto em curso da nova
Central Térmica
 
Projecto de construção
de Minihidrica do Luapasso

Projecto de construção de linhas de transporte de energia
em alta tensão a
partir de Capanda

Projecto de construção
de linha de transporte
em alta tensão a partir
da Hidroeléctrica de Capanda

Projecto de construção de linha
de alta tensão a partir de Capanda

Tempo

Multimédia