Províncias

Rede sanitária no município foi reforçada

Armando Sapalo| Cuilo

A expansão e ampliação da rede sanitária no município do Cuilo, província da Lunda Norte, está a contribuir para o reforço das acções na melhoria da assistência médica e medicamentosa às populações e evitar a transferência de pacientes em estado grave para outros hospitais, disse o responsável do sector da Saúde.

Os investimentos que estão a ser feito no sector da Saúde permitiram aumentar e tornar mais eficiente o atendimento às populações
Fotografia: José Soares

João Mutaza disse que além do centro médico da sede, devidamente apetrechado com e­quipamentos de diagnóstico, decorrem as obras de construção de um novo hospital municipal com capacidade de 45 camas e que vai contar com laboratório de análises clínicas e outros serviços.
As obras da unidade sanitária ficam concluídos em Julho de 2015 e os serviços médicos vão ser assegurados por técnicos especializados, com vista a reforçarem o sistema de  saúde
O chefe do sector da Saúde informou que as obras do futuro hospital municipal obedecem a critérios determinados pelo Executivo, tendo em vista a modernização do sector.
A rede sanitária vai ser ainda ampliada com a construção de dois outros centros de saúde na comuna do Caluango.
As autoridades locais pretendem com este investimentos devolver a qualidade de vida aos habitantes locais que no passado enfrentaram inúmeras dificuldades para terem a­cesso à assistência sanitária. Os projectos que visam melhorar as condições de vida dos munícipes do Cuilo estão a ser desenvolvidos no quadro do Programa de Investimentos Públicos do Governo Provincial da Lunda Norte.
O município do Cuilo conta quatro unidades sanitárias. Os investimentos que estão a ser feito permitiram aumentar a capacidade de internamento, tornar mais eficiente o atendimento e assistência aos pacientes. Também foram melhorados os serviços de aconselhamento familiar no seio das comunidades, com vista à redução da mortalidade materno-infantil. O chefe do sector da Saúde, João Mutaza, disse que com a entrada em funcionamento das novas infra-estruturas, foi reforçado o número de quadros qualificados para manusearem os equipamentos, mais ainda há necessidadede mais médicos e enfermeiros. No município a assistência médica é assegurada por um médico pediatra e quatro enfermeiros. Mas são necessários mais quatro médicos e 17 enfermeiros.
João Mutaza reconheceu os esforços das autoridades da província na aquisição de uma ambulância e outras viaturas a todo-o-terreno adquiridas para auxiliar os serviços médicos.

Tempo

Multimédia