Províncias

Ruas da vila do Nzaji estão a ser reabilitadas

Victorino Matias | Cambulo

A vila mineira do Nzaji, município do Cambulo, província da Lunda-Norte, está a ganhar uma nova imagem com as obras de aplicação e colocação de um novo tapete asfáltico, substituição dos passeios e lancis, numa extensão de 14 quilómetros.

Numa primeira fase os trabalhos consistem na terraplagem e pavimentação das ruas para tornar o trânsito mais cómodo e seguro
Fotografia: Benjamim Cândido | Cambulo

De acordo com o administrador municipal, Francisco Munana, a empreitada começou na segunda quinzena do mês de Julho, sob responsabilidade da empresa portuguesa de construção civil, MCA.
Francisco Munana adiantou que os trabalhos consistem na terraplanagem e pavimentação das ruas.
“As obras de reabilitação que estão a ser executadas abrangem cerca de 14 quilómetros da rede viária da vila do Nzagi, incluindo a reparação do pavimento degradado”, afirmou o administrador municipal do Cambulo.
Francisco Munana informou, por outro lado,  que a primeira fase tem o fim previsto para o primeiro trimestre do próximo ano, período em que vão ser realizados, simplesmente, os trabalhos de compactação e asfaltagem das ruas.
A segunda fase do projecto, de acordo com Francisco Munana, a­brange a reparação de passeios e lancis, assim como a colocação do sistema de sinalização vertical e horizontal, adaptadas ao novo Código de Estrada.
“Trata-se de um trabalho integrado, em que vamos contar com a colaboração de especialistas da Polícia de Viação e Trânsito para a fase de sinalização, tendo em conta que são trabalhos específicos”, realçou o administrador Francisco Munana. 

População satisfeita

Além das contrariedades causadas pela poeira, uma vez que a principal rua da vila está encerrada temporariamente, a população elogia os esforços do Governo Provincial, destinados a melhorar a circulação rodoviária no perímetro urbano do Nzaji.
O moto-taxista Alberto Cabongo diz que as acções que estão a ser realizadas são de fundo e vão resolver, sobretudo, os problemas com as águas da chuva e domiciliares. />Para Alberto Cabongo, é necessário que as autoridades incluam também no projecto de reabilitação das vias a estrada que liga o município do Nzaji à capital da província da Lunda-Norte, Dundo.
Manuel Silva, 28 anos, mecânico de profissão, conseguiu emprego no projecto de requalificação das vias. O jovem mostra-se satisfeito, porque está agora em condições de sustentar a mulher e os seus três filhos.
“Eu vivia apenas de biscates como mecânico e isso entristecia a minha vida, por não conseguir dar solução aos problemas familiares”, salientou Manuel Silva.
Além de estar orgulhoso pelo contributo que dá em prol da reconstrução do seu município, Manuel Silva está satisfeito por saber que o salário que recebe tem chegado para sustentar a família com dignidade e suportar os encargos com os filhos e irmãos em casa.
Ngueja Morais, de 20 anos, estudante da 10ª classe, revelou que a sua missão nas obras é zelar pela segurança dos colegas, enquanto trabalham. Coloca cones e outros meios de sinalização para evitar que as pessoas não ligadas ao trabalho se aproximem do local e para que as viaturas não circulem naquele perímetro. O salário que recebe não serve para satisfazer todas as suas necessidades, mas ajuda a sobrevivência.
“Tenho esperanças que um dia consiga algo melhor, mas, por enquanto, estou aqui. Espero ganhar de acordo com o volume de trabalho ”, afirmou, mostrando-se indignado com a falta de colaboração da população, de forma a garantir o bom ritmo dos trabalhos. “Lamentamos somente a postura de muitos proprietários de viaturas que ainda insistem em deixar os seus veículos ao longo das ruas, impedindo que o nosso trabalho caminhe dentro da normalidade”.

Tempo

Multimédia