Províncias

Sector da saúde ganha novo impulso

Isidoro Samutula| Xá-Muteba

O centro saúde do município de Xá Muteba passa a dispor, partir de Dezembro, de instalações para conservar medicamentos e uma morgue, anunciou ao Jornal de Angola o director da saúde da circunscrição.

Na localidade de Xá Muteba estão a ser construídos um depósito para conservação de medicamentos e também uma morgue
Fotografia: Isidoro Samutula|Xá-Muteba

O director municipal da Saúde, Paulo Companhe, garantiu que estão concluídas as obras e informou que já se encontram em Xá Muteba os equipamentos necessários para apetrechar o depósito de medicamentos e a morgue. 
Com a entrada em funcionamento do depósito de medicamentos, as direcções municipais de saúde dos municípios localizados na zona sul da província, vão deixar de percorrer 800 quilómetros, até à cidade do Dundo, para se abastecerem de medicamentos.  “Enfrentamos muitas dificuldades para fazer chegar os medicamentos às farmácias.
 Faltam-nos meios para transportar medicamentos da cidade Dundo para outras localidades. Com a construção deste depósito, a situação fica resolvida de uma vez por todas”, disse.
Paulo Companhe realçou a importância da construção da morgue para a região, porque permite ultrapassar as dificuldades relacionadas com a conservação dos corpos, recordando que actualmente os cadáveres ficam nas casas dos familiares aguardando o dia do funeral, o que contraria as normas sanitárias. 
O director municipal da saúde de Xa Muteba referiu que apesar do esforço do Executivo em melhorar os serviços de saúde, há necessidade de ampliar a rede sanitária, principalmente nas localidades distantes da sede municipal, para que a assistência médica e medicamentosa esteja mais próxima da população. O município de Xá Muteba tem sete unidades sanitárias, insuficientes para dar cobertura a todos os centros populacionais.
A falta de médicos especializados para atender várias patologias que o município regista, constitui também uma preocupação das autoridades sanitárias locais.  Para preencher o quadro clínico são necessários mais cinco médicos nas especialidades de clínica geral, ginecologia, pediatria e cirurgia, além de enfermeiros e de técnicos de laboratório, disse Paulo Companhe.  
A malária, diarreias agudas, sarampo e tuberculose são as patologias mais frequentes no município. Foram registados dois casos de febre-amarela, durante o mês de Setembro.

Tempo

Multimédia