Províncias

Valas de drenagem no lugar de ravinas

Armando Sapalo| Dundo

Mais de dez ravinas, com cerca de 40 metros de profundidade, 600 de cumprimento e 56 de largura, estão a ser estancadas na cidade do Dundo, capital da província da Lunda Norte, para evitar a destruição de infra-estruturas de impacto social e áreas de habitação, disse quarta-feira o governador Ernesto Muangala.

Ravinas que na cidade do Dundo ameaçavam destruir casas e infra-estruturas sociais estão a ser estancadas
Fotografia: Benjamim Cândido| Dundo

Num encontro com os jornalistas, o governador Ernesto Muangala  explicou que não obstante o programa de estancamento de ravinas ser uma acção de subordinação central, através do Ministério da Construção, as autoridades da Lunda Norte tiveram que encontrar soluções imediatas por ser um problema social de proporções alarmantes.
Declarou que “se o governo provincial cruzar os braços”, aguardando pelas soluções burocráticas do Ministério da Construção, os níveis de progressão das ravinas identificadas no Dundo seriam drásticos.
Destacou a necessidade de se tomarem medidas urgentes, a nível local, para salvaguardar infra-estruturas viárias e residências das populações que apresentam sinais eminentes de serem destruídas.
“Nos termos da Lei de Contratação de Obras Públicas, concretamente para o estancamento de ravinas, o governador provincial está autorizado apenas a celebrar contratos avaliados em cerca de 490 milhões de kwanzas, correspondentes a cinco milhões de dólares”, esclareceu, recordando que são recursos que podiam servir para outros projectos sociais de crucial importância para a vida das populações. É nesta base, afirmou, que o governo provincial começou, no ano passado, a primeira fase das obras tendentes a impedir a progressão das ravinas localizadas nos bairros Caxinde, 1º de Maio e Satxingongo.
As referidas ravinas, segundo o governador, existem há quase duas décadas e somente agora é que o governo conseguiu envidar esforços na mobilização de recursos financeiros, técnicos e humanos para a sua contenção.
Esta acção visa fundamentalmente reduzir os riscos que as ravinas representam para várias infra-estruturas, residências e segurança dos habitantes da cidade do Dundo e arredores.
O governador da Lunda Norte informou que para a concretização do programa, o governo provincial contratou a empresa PAN-CHINA, especializada em obras de contenção de ravinas e revelou a sua satisfação com os níveis de execução física dos trabalhos em curso, cuja conclusão vai permitir devolver a segurança e qualidade de vida às populações. />Ernesto Muangala disse que a maior parte das ravinas são substituídas por valas de drenagem das águas e outras, particularmente a do bairro Caxinde, que tornou a rua intransitável, vai dar lugar a uma nova estrada, devidamente asfaltada e com postes de iluminação pública, assegurados por sistemas de energia solar e sinalização horizontal e vertical.

Origem das ravinas

O encarregado das obras de estancamento das ravinas nos bairros Caxinde e 1º de Maio, Wang Qin Ming, disse ao Jornal de Angola que os trabalhos ficam concluídos em finais do mês de Setembro. O responsável da empresa PAN-CHINA acrescentou que foram realizadas acções de contenção profunda das ravinas e a construção de valas de drenagem subterrâneas, com dois metros de largura e um de altura cada. Adiantou que as obras de construção da estrada e colocação do tapete asfáltico na antiga ravina do bairro Caxinde, num percurso de um quilómetro, começam na segunda quinzena do mês de Setembro e podem ser concluídas em princípios de Outubro deste ano.
Wang Qin Ming explicou que as ravinas são provocadas pela elevada concentração de resíduos sólidos produzidos pela população e sobretudo comerciantes.
O desvio do curso normal das águas residuais e pluviais, segundo Wang Qin Ming, tem provocado a impermeabilização dos solos, considerada uma das principais causas do surgimento progressivo das ravinas a nível da cidade do Dundo e bairros da periferia, sobretudo na época das chuvas.
O encarregado das obras de estancamento das ravinas na cidade do Dundo queixou-se da grande quantidade de lixo e outros resíduos sólidos, que levaram muitos meses a serem removidos, com vista a garantir o equilíbrio e compactação adequada dos solos.
Wang Qin Ming defendeu, por outro lado, o reforço do sistema de saneamento básico e ordenamento de território, com a indicação de locais próprios para a deposição do lixo e aconselhou a aquisição de equipamentos modernos que permitem uma melhor recolha de resíduos sólidos e construção de aterro sanitário adequado por parte da administração municipal.

Tempo

Multimédia