Províncias

Vice-governador da Lunda-Norte quer gestão pública transparente

João Silva | Lucapa

Os administradores municipais da província da Lunda-Norte devem pautar-se por uma conduta responsável e transparente na utilização dos fundos alocados para execução do programa de combate à fome e à pobreza, no seio das populações, afirmou o vice-governador para a Esfera Económica, na cidade do Lucapa.

Profírio Ipupo Muacassange
Fotografia: João Silva | Lucapa

Os administradores municipais da província da Lunda-Norte devem pautar-se por uma conduta responsável e transparente na utilização dos fundos alocados para execução do programa de combate à fome e à pobreza, no seio das populações, afirmou o vice-governador para a Esfera Económica, na cidade do Lucapa.
Profírio Ipupo Muacassange fez este alerta durante uma visita de constatação às obras em execução dos projectos de impacto social que a administração municipal do Lucapa está a desenvolver, no quadro dos esforços do governo da província para aumentar o nível de vida das populações.
O vice-governador, também coordenador provincial do programa de combate à fome e à pobreza, disse ter deixado recomendações aos administradores municipais para a necessidade de concertação com os membros da sociedade civil, relativamente às principais ideias que devem constar dos projectos a ser desenvolvidos nas comunidades. Satisfeito com o que viu no município do Lucapa, o responsável sublinhou que a administração está no bom caminho quanto à execução do programa de combate à fome e à pobreza.
No Lucapa, estão a ser construídas e reparadas escolas e casas para quadros, e a ser realizados trabalhos de instalação da rede de iluminação pública nas Comunas de Capaia e Xá-Cassau. Em fase conclusiva está a intervenção no sistema de captação de água, do sector de Calonda.
O andamento das obras de construção de infra-estrutura socais, que compreende escolas e centros de saúde em zonas desprovidas é, na opinião do vice-governador, um sinal de que há um grande empenho das autoridades locais em servirem melhor os seus habitantes. 
Profírio Muacassange realçou, por outro lado, as potencialidades agrícolas do município e anunciou medidas para incrementar a actividade agrícola sustentada, logo que os bancos comerciais se pronunciarem sobre a concessão do crédito agrícola aos produtores da região. O governo da província, referiu, deve continuar a trabalhar para melhorar o estado das vias secundárias e terciárias, para permitir a livre circulação de pessoas e bens e garantir o escoamento e comercialização dos produtos agrícolas.
“Temos estabelecido um contrato com a empresa de construção civil Freimar, para intervir em algumas estradas, e acreditamos que a situação venha a melhorar consideravelmente”, disse.

Tempo

Multimédia