Províncias

Aumentam casos de sarampo

Adão Diogo |Saurimo

A propagação do surto de sarampo na província da Lunda-Sul está a preocupar as autoridades sanitárias. A direcção provincial de Saúde Pública informou segunda-feira que notificou mais de 530 casos, só no primeiro trimestre.

A propagação do surto de sarampo na província da Lunda-Sul está a preocupar as autoridades sanitárias. A direcção provincial de Saúde Pública informou segunda-feira que notificou mais de 530 casos, só no primeiro trimestre.
A pediatria do hospital central registou, de Janeiro a Junho, o internamento de 227 crianças na pediatria, com sete óbitos.
O pequeno Osvaldo Yambo Sonhi, de sete meses, brinca com a mãe, Olga Regina Inês, evidenciando recuperação da saúde, na sequência de tratamento intensivo na pediatria do hospital provincial da Lunda-Sul, em Saurimo, onde foi internado há mais de uma semana com o diagnóstico de sarampo.
 Para a mãe do pequeno, atrás ficam os receios e pesadelos sustentados por mitos, segundo os quais a “vacina encurta a vida das crianças”. A acção de médicos e enfermeiros na pediatria para curar as crianças do sarampo convenceu a jovem mãe, que durante muito tempo preferiu os quimbandas em detrimento do tratamento no hospital.
 A chefe da pediatria do hospital central, Agostinha Fernanda, disse que de Janeiro a Junho do ano em curso 227 crianças foram internadas com o diagnóstico de sarampo, cujo tratamento curou 176. Afirmou que 45 abandonaram o tratamento e sete morreram, por agravamento da doença.
 A ignorância aos apelos de aderência às campanhas programadas pela área de Saúde Pública, prática deficiente de higiene e abandono do tratamento originam a notificação média diária de três casos, nas consultas que a pediatria realiza.
Dominam a lista dos enfermos crianças, na sua maioria em estado grave, trazidas de localidades muito afastadas, falhadas as tentativas de cura protagonizadas por gente de competência duvidosa. “São estas que engrossam a lista de óbitos porque a nível do hospital temos condições técnicas e humanas”, disse.
 Dados obtidos pela área de vigilância epidemiológica apontavam para mais de 80 casos de sarampo durante o primeiro trimestre, mas o chefe de secção provincial de cuidados, Jorge Calado, precisou que a realização de um trabalho circunstanciado sobre o surto da doença culminou com a notificação de 534 casos, dos quais o município de Saurimo encabeça a lista com 361, seguido por Kakolo e Mukonda com 148 e 25 casos, respectivamente.
“Vivemos numa região onde até problemas de hipertensão e malária levantam suspeitas de enfeitiçamento e originam buscas de solução junto de quimbandas”, referiu Calado, facto que concorre para o agravamento da doença. A opção pelo hospital surge como última opção, com todas as consequências dela decorrente.
 A falta de vacinação dos menores Yano Mwambele e Tina Maria, de dois e um ano,levados em estado  mórbido confirma a ignorância.

Tempo

Multimédia