Províncias

Chuvas desalojam mais de 60 famílias

Adão Diogo |Cacolo

Mais de 60 famílias perderam as suas casas no município do Cacolo, Província da Lunda-Sul, em consequência das fortes chuvas que se abateram sobre a região no primeiro trimestre do ano em curso, informou, ontem, o comandante municipal do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros, Zeca Luciano.

Enxurradas destruíram muitas casas no município de Cacolo
Fotografia: Filipe Botelho | edições novembro | Uíge

O responsável disse que a instituição que dirige não tem meios para prestar assistência às famílias desabrigadas. “Algumas famílias estão por conta própria a reabilitar as suas casas, mas a maioria não tem possibilidade”, disse.
Disse , por outro lado, que a progressão de duas ravinas na zona suburbana do Catambor “está a tira o sono” aos habitantes locais. “O Instituto Nacional de Estradas tem de intervir urgente nesta região, pois as ravinas ameaçam cortar um troço da estrada de acesso à comuna de Cucumbi, interior de Cacolo”, frisou.


VIH/Sida
A crença no poder dos Kimbandas para curar o VIH/Sida, a prática de relações sexuais desprotegidas, prostituição, controlo ocasional do estado serológico, transfusões sanguíneas pouco seguras, são factores que estão na causa do surgimento de 37 novos casos de VIH/Sida em Cacolo, num universo de 585 pessoas testadas, durante o primeiro trimestre deste ano.
Segundo a coordenadora local do Programa de VIH/Sida, Elizabeth Saraiva, que revelou este facto, no período em referência houve dois casos de óbitos de pessoas que contraíram o vírus do VIH/Sida.
Elizabbeth Saraiva, que tutela uma equipa de 13 técnicos, disse que à luz do programa que coordena, tem-se realizado sessões de aconselhamento, palestras, visitas a portadores do vírus e assistência médica e medicamentosa . Disse ainda que dos testes obrigatórios realizados a mulheres grávidas no primeiro trimestre deste ano, houve dois casos positivos.

Tempo

Multimédia