Províncias

Cidade tem mais estabelecimentos de ensino

Os moradores dos bairros Luavur e Tchizainga, na cidade de Saurimo, dispõem, desde segunda-feira, de duas escolas do segundo ciclo, com 12 salas de aulas e três laboratórios cada uma.

Mais crianças na cidade de Saurimo e arredores vão aprender a ler e a escrever
Fotografia: Jornal de Angola

Os moradores dos bairros Luavur e Tchizainga, na cidade de Saurimo, dispõem, desde segunda-feira, de duas escolas do segundo ciclo, com 12 salas de aulas e três laboratórios cada uma.
Ambas têm capacidade para 1.400 alunos e foram inauguradas pelo ministro da Educação Mpinda Simão, no âmbito das comemorações do 22 de Novembro, Dia Nacional do Educador.
 As escolas, com uma área de mil metros quadrados, construídas no âmbito do investimento público 2009/2010, orçaram em 251,7 milhões de kwanzas.
 O coordenador do bairro Luavur Zona B, Jones Tchambeno, lembrou que a escola é um ganho para as crianças da circunscrição.
 “Isto é fruto da Independência Nacional e da paz, as nossas crianças vão deixar de percorrer muitos quilómetros e de correr vários perigos”, afirmou.
 Lunela Muteteleno, coordenador do bairro Luavur zona A, manifestou-se satisfeito, pois as crianças já não têm de percorrer dez quilómetros e, frisou também, de correrem perigos por estudarem de noite.
 O coordenador do bairro Tchizainga, Daniel José Saquenda, enalteceu o trabalho do Executivo no aumento de salas de aulas, sublinhando, igualmente, que, a partir de agora, as crianças deixam de correr muitos riscos.
 Ao intervir, no acto de inauguração, o ministro da Educação, Mpinda Simão, pediu à população que cuide das infra-estruturas para as próximas gerações beneficiarem de mais empreendimentos. O município de Saurimo, com duas comunas – Mona-Quim­bundo e Sombo – tem 151.­571 habitantes.
 O 22 de Novembro foi instituído em Angola, em 1977, como Dia do Educador, quando o primeiro Presidente da República, Agostinho Neto, lançou a primeira campanha de alfabetização, na fábrica Textang II, em Luanda.

Tempo

Multimédia