Províncias

Clientes devem denunciar as infracções detectadas

Kamuanga Júlia | Saurimo

A  aposta na educação das comunidades por parte do Instituto Nacional de Defesa do Consumidor (INADEC), em parceria com a Polícia Económica, direcções provinciais da Saúde, Agricultura, Comércio e Águas, permite o aumento de denúncias sobre a venda de produtos deteriorados.

Destruídas quantidades consideráveis de vários produtos impróprios para consumo
Fotografia: Victor Pedro | Sumbe

Os dados foram avançados pela directora do Instituto de Consumidor, Delfina Mazau, durante uma mesa redonda partilhada pelos directores da Justiça, Comércio, Polícia Económica e representantes das comunidades, realizada em Saurimo, no quadro das comemorações dos 17 anos da fundação da instituição.
Delfina Mazau reconhece que com o apoio das comunidades aumentou o número de acções efectuadas em prol da garantia da qualidade dos serviços prestados aos consumidores. Durante o primeiro semestre deste ano, acrescentou, os técnicos do Instituto destruíram ­quantidades consideráveis de vários produtos impróprios para consumo, detectados em lojas e armazéns de comerciantes.
O número reduzido de funcionários para colmatar as necessidades, inspectores e material técnico para facilitar o trabalho dos técnicos, constam das principais dificuldades sublinhadas pela directora. Para evitar complicações entre consumidores e fornecedores, Delfina Mazau pediu à população para continuar a denunciar os infractores, para facilitar a resolução dos problemas que afligem a sociedade pelo INADEC.
O director provincial da Polícia Económica, António Chilala, entende que a acção despertou consideravelmente a mente dos consumidores. “Estamos no bom caminho, para continuarmos a defender os interesses da população”, salientou.
O programa das comemorações abarca acções de sensibilização em hotéis, restaurantes e estabelecimentos comerciais.

Tempo

Multimédia