Províncias

Cokwe nas escolas do ensino primário

Flávia Massua | Saurimo

A inserção em 2013 da língua nacional cokwe, no currículo escolar do ensino primário na região leste, mereceu grandes elogios por parte das autoridades tradicionais, pais e encarregados de educação, que consideraram ser uma das formas de preservar e valorizar a cultura dos diferentes povos.

Crianças com idade escolar na Lunda Sul aprendem a falar a língua materna
Fotografia: M. Machangongo

O soba Domingos Liangue disse ao Jornal de Angola que a língua, independentemente do local ou região onde é falada, facilita a compreensão no processo de abordagem entre pessoas, além de constitui a marca e a identidade da região.
“Penso ser uma medida bem acertada, daí o meu apelo à criação de condições para melhorar as estratégias de ensino por parte dos professores, que devem fazer formação contínua”, realçou.
O director provincial da Educação, Ciência e Tecnologia na Lunda Sul, Isaías Felipe Sacagima, disse que com a iniciativa, o Executivo pretende preservar a língua, por ser um instrumento que caracteriza “a nossa existência”.
O processo de ensino, de acordo com o director provincial da Educação, decorre sem sobressaltos, mas disse que requer um impulso maior, no que concerne ao aumento de docentes da disciplina da língua nacional cokwe. Com a abertura de mais escolas do primeiro e segundo ciclos na província, o sector da Educação adoptou  oito novas cadeiras, como a geologia e minas, energias renováveis, electromecânica, empreendedorismo, tratamento de resíduos sólidos, saneamento básico e gestão ambiental.  O sector trabalha num processo de formação contínuo, fiscalização mais intensificada para disciplinar os professores faltosos e igualmente resgatar o sentido de responsabilidade e maturidade do aluno.
A continuidade na construção de novas infra-estruturas escolares para normalizar o sistema e melhorar o ensino, sobretudo nas comunidades rurais, consta também do programa de acção governativa da Lunda Sul.

Tempo

Multimédia