Províncias

Criadas condições preventivas para atenuar impacto da malária

Flávia Massua | Saurimo

O combate às larvas de mosquitos, a sensibilização das comunidades e a manutenção de reservas de medicamentos para tratar o paludismo são as grandes medidas preventivas das autoridades sanitárias da Lunda-Sul para travar a malária.

O combate às larvas de mosquitos, a sensibilização das comunidades e a manutenção de reservas de medicamentos para tratar o paludismo são as grandes medidas preventivas das autoridades sanitárias da Lunda-Sul para travar a malária.
Estas medidas vão ajudar a reduzir os casos de malária, referiu o chefe do departamento de Saúde Pública, Lucas Kalengulula.
O responsável disse que a época da chuva não alterou o quadro de disseminação da malária. Entre Agosto e Setembro foram registados 26 doentes.
Lucas Kalengulula apelou aos habitantes da província para acatarem as normas de prevenção, através da melhoria da higiene e saneamento, para evitar a propagação da doença.O responsável reiterou o apelo à necessidade das famílias acorrerem aos hospitais, centros e postos de saúde sempre que detectarem algum sintoma da doença.
No âmbito das acções de sensibilização, as autoridades criaram equipas, distribuídas por todos os municípios da província, para dar a conhecer e recolher informações porta à porta sobre as doenças mais frequentes nas comunidades.

Tempo

Multimédia