Províncias

Criados milhares de postos de trabalho

Pelo menos 2.607 postos de trabalho foram criados, em 2012, nos vários sectores de actividade na província do Kwanza-Sul, informou, à Angop, o director provincial da Administração Pública, Emprego e Segurança Social.

Pelo menos 2.607 postos de trabalho foram criados, em 2012, nos vários sectores de actividade na província do Kwanza-Sul, informou, à Angop, o director provincial da Administração Pública, Emprego e Segurança Social.
Segundo Francisco Jamba, 1.110 foram empregados no sector primário, 291 no secundário, 461 no terciário e 745 na função pública. Os 1.110 foram enquadrados nos ramos da agricultura, pescas, silvicultura, 291 na construção e obras públicas, 461 na saúde, educação, transporte e 745 nas áreas da Administração Pública, como delegações provinciais e administrações municipais.

Formação profissional


Mais de 1.550 formandos terminaram acções de capacitação ministradas pelas 16 unidades de formação profissional públicas e privadas controladas pela Direcção Provincial da Administração Pública e Segurança Social no ano transacto.
A informação foi prestada à Angop pelo director local do sector, Francisco Jamba, referindo terem sido matriculados 3.374 instruendos, dos quais apenas 86 foram considerados não aptos, 448 desistiram e 1.288 continuam ainda em fase de formação.
Os três pavilhões de formação em artes e ofícios nos municípios do Libolo, Conda e Amboim realizaram 134 acções formativas, nas especialidades de alvenaria, carpintaria, electricidade, informática e mecânica auto, em que estiveram matriculados 584 formandos, dos quais 385 com aproveitamento, 47 não aptos e 152 desistentes. No quadro do programa de formação itinerante, foram realizadas dez acções de formação nas especialidades de alvenaria, corte e costura, electricidade de baixa tensão, informática, mecânica auto, pastelaria e serralharia nos municípios da Cela, Kibala e Seles, dirigidas a 688 pessoas, das quais 381 aptas, três não aptas, 169 desistentes e 135 continuam a formação.
Os centros convencionais realizaram cerca de 21 acções de formação em alvenaria/canalização, contabilidade informatizada, contabilidade geral, electricidade de baixa tensão, informática, inglês, mecânica auto, secretariado e relações públicas e serralharia. O Centro de Formação Profissional do Cuacra, afecto ao Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional (INEFOP), realizou quatro acções do género em alvenaria/canalização, electricidade, mecânica auto e serralharia, abrangendo 118 formandos, dos quais 82 aptos, 11 inaptos e 25 desistentes.

Tempo

Multimédia